A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

PT quer homenagear Adão Pretto com lei contra trabalho escravo

Deputados do PT sugerem que a Câmara faça uma homenagem ao colega Adão Pretto (PT-RS), que morreu nesta quinta-feira (5), concluindo a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) contra o trabalho escravo. "Essa PEC é a síntese da luta do deputado Adão Pretto, que teve uma vida dedicada à defesa dos direitos humanos e da reforma agrária", afirmou a deputada Maria do Rosário (PT-RS). Na avaliação da petista, a proposta enfrenta as distorções da situação agrária no País e garante o respeito aos direitos humanos. "Esta será uma homenagem justa e necessária", afirmou. Adão Pretto, do PT do Rio Grande do Sul, foi fundador do Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra (MST) em seu estado. O deputado Paulo Rocha (PT-PA), autor da PEC que visa à expropriação das terras que abrigam trabalho escravo, relembrou que os deputados Adão Pretto e Carlos Santana (PT-RJ) são pioneiros na Câmara na luta pela aprovação da proposta. "O fim do trabalho escravo sempre foi uma prioridade da nossa bancada. Por isso, concluir a votação dessa PEC ainda no primeiro semestre deste ano será uma grande homenagem, não só do PT, mas de todos os parlamentares ao nosso companheiro Adão Pretto", afirmou Paulo Rocha. A expropriação de terras com trabalho escravo sempre foi uma bandeira do Núcleo Agrário do PT, que o deputado Adão Pretto coordenou por diversas vezes, desde que foi criado, em 1991. Dentre as principais conquistas do colegiado está a aprovação da Lei que cria a Política Nacional da Agricultura Familiar, em 2006.  

Deputados do PT sugerem que a Câmara faça uma homenagem ao colega Adão Pretto (PT-RS), que morreu nesta quinta-feira (5), concluindo a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) contra o trabalho escravo. "Essa PEC é a síntese da luta do deputado Adão Pretto, que teve uma vida dedicada à defesa dos direitos humanos e da reforma agrária", afirmou a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Na avaliação da petista, a proposta enfrenta as distorções da situação agrária no País e garante o respeito aos direitos humanos. "Esta será uma homenagem justa e necessária", afirmou. Adão Pretto, do PT do Rio Grande do Sul, foi fundador do Movimentos dos Trabalhadores Sem Terra (MST) em seu estado.

O deputado Paulo Rocha (PT-PA), autor da PEC que visa à expropriação das terras que abrigam trabalho escravo, relembrou que os deputados Adão Pretto e Carlos Santana (PT-RJ) são pioneiros na Câmara na luta pela aprovação da proposta. "O fim do trabalho escravo sempre foi uma prioridade da nossa bancada. Por isso, concluir a votação dessa PEC ainda no primeiro semestre deste ano será uma grande homenagem, não só do PT, mas de todos os parlamentares ao nosso companheiro Adão Pretto", afirmou Paulo Rocha.

A expropriação de terras com trabalho escravo sempre foi uma bandeira do Núcleo Agrário do PT, que o deputado Adão Pretto coordenou por diversas vezes, desde que foi criado, em 1991. Dentre as principais conquistas do colegiado está a aprovação da Lei que cria a Política Nacional da Agricultura Familiar, em 2006.

 


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *