A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Ceasa forma multiplicadores para combater exploração sexual infantil

Encerram nessa quinta-feira (19), o ciclo de palestras que, Conselho Tutelar, Delegacia de Atendimento ao Adolescente ( Data) e Fundação Papa João XXIII ( Funpapa), oferecem a permissionários, caminhoneiros, trabalhadores e técnicos da Centrais de Abastecimento do Pará ( Ceasa). A ação integra a primeira etapa do projeto "Cuidar para prevenir", idealizado pela Central de Abastecimento em parceria com a Funpapa, afim de combater o abuso, a exploração sexual e o trabalho escravo de crianças e adolescentes e identificar famílias em situação de vulnerabilidade que estão dentro da área da Ceasa. "Precisamos colocar em prática todo o conhecimento que está sendo repassado aqui". A reflexão do trabalhador José Silva Santos, membro do Sindicato de Carregadores e Descarregadores do Estado do Pará, será um dos multiplicadores das informações dentro da Ceasa diariamente. Segundo a psicóloga da Funpapa, Delma Torres, é de extrema importância esclarecer que trabalho escravo e exploração sexual infantil podem estar ligados. "O trabalho doméstico por exemplo, quando a criança acompanha a família, pode representar uma situação de vulnerabilidade", afirmou. Para Zuliene Martins, assistente social da Ceasa, só com o envolvimento dos parceiros será possível, uma vez detectada situações de risco, tanto para a criança quanto para a família, combater e ainda de que forma buscar junto aos órgãos, a garantia de direitos dessas pessoas enquanto cidadãos. "O resultado prático esperado através do projeto é identificar a real situação no território e construir alternativas de solução para as situações", enfatizou. Na segunda etapa, o projeto trabalhará diretamente com as famílias que estão diariamente no território da Ceasa, oficinas de orientação e palestras técnicas junto a esse público enfocarão o papel da família enquanto representante legal da criança e do adolescente. Serviço- Informações e orientações sobre o projeto, podem ser adquiridas através dos telefones – ( 91) 3228 9133- Assistência Social da Ceasa ou (3223 9755)- Centro de Referência Social ( Creas). Iolanda Lopes- Sagri

Encerram nessa quinta-feira (19), o ciclo de palestras que, Conselho Tutelar, Delegacia de Atendimento ao Adolescente ( Data) e Fundação Papa João XXIII ( Funpapa), oferecem a permissionários, caminhoneiros, trabalhadores e técnicos da Centrais de Abastecimento do Pará ( Ceasa). A ação integra a primeira etapa do projeto "Cuidar para prevenir", idealizado pela Central de Abastecimento em parceria com a Funpapa, afim de combater o abuso, a exploração sexual e o trabalho escravo de crianças e adolescentes e identificar famílias em situação de vulnerabilidade que estão dentro da área da Ceasa.

"Precisamos colocar em prática todo o conhecimento que está sendo repassado aqui". A reflexão do trabalhador José Silva Santos, membro do Sindicato de Carregadores e Descarregadores do Estado do Pará, será um dos multiplicadores das informações dentro da Ceasa diariamente.

Segundo a psicóloga da Funpapa, Delma Torres, é de extrema importância esclarecer que trabalho escravo e exploração sexual infantil podem estar ligados. "O trabalho doméstico por exemplo, quando a criança acompanha a família, pode representar uma situação de vulnerabilidade", afirmou.

Para Zuliene Martins, assistente social da Ceasa, só com o envolvimento dos parceiros será possível, uma vez detectada situações de risco, tanto para a criança quanto para a família, combater e ainda de que forma buscar junto aos órgãos, a garantia de direitos dessas pessoas enquanto cidadãos. "O resultado prático esperado através do projeto é identificar a real situação no território e construir alternativas de solução para as situações", enfatizou.

Na segunda etapa, o projeto trabalhará diretamente com as famílias que estão diariamente no território da Ceasa, oficinas de orientação e palestras técnicas junto a esse público enfocarão o papel da família enquanto representante legal da criança e do adolescente.

Serviço- Informações e orientações sobre o projeto, podem ser adquiridas através dos telefones – ( 91) 3228 9133- Assistência Social da Ceasa ou (3223 9755)- Centro de Referência Social ( Creas).

Iolanda Lopes- Sagri


Apoie a Repórter Brasil

saiba como