A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Polícia investiga trabalho escravo e abuso de menores em SP

Uma denúncia de trabalho escravo e de abuso sexual de menores levou a Polícia Civil de Bauru, interior de São Paulo, a prender três mulheres e a recolher 17 adolescentes que estavam em dois ônibus que os levariam para festas em outras cidades do Estado. De acordo com a delegada da Mulher de Bauru, Luciana Claro Rodrigues, os adolescentes trabalhavam em um evento e depois eram abusados sexualmente. "Hoje de manhã recebemos uma denúncia do Conselho Tutelar dizendo que quatro ônibus sairiam de Bauru com destino a São Carlos, Sorocaba e Araçatuba, levando menores para trabalhar em uma festa e que esses menores, após a realização do evento, seriam abusados sexualmente. Além disso, a denúncia relatava que esses menores passavam fome e fariam parte de um esquema que funcionava como uma espécie de trabalho escravo", disse a delegada. Segundo a delegada, quando os investigadores chegaram ao local indicado, dois ônibus já haviam saído, mas em outros dois, foram detidas as mulheres e os adolescentes. Segundo Luciana, o representante da empresa que recrutou os menores confirmou à polícia que realmente os contratou, mesmo sabendo da ilegalidade. "Ele disse que preferia ver os menores trabalhando que vendendo drogas nas ruas, mas negou a denúncia de abuso". De acordo com a delegada, a denúncia de abuso sexual foi feita ao Conselho pelo disque-denúncia. Segundo ela, um inquérito para apurar o caso foi aberto e deverá ouvir todas as pessoas que estavam nos ônibus, que são ligadas à empresa e ainda outras que participariam das festas. As mulheres foram ouvidas pela delegada e liberadas. Já os adolescentes, foram enviados para o Conselho Tutelar e familiares.

Uma denúncia de trabalho escravo e de abuso sexual de menores levou a Polícia Civil de Bauru, interior de São Paulo, a prender três mulheres e a recolher 17 adolescentes que estavam em dois ônibus que os levariam para festas em outras cidades do Estado. De acordo com a delegada da Mulher de Bauru, Luciana Claro Rodrigues, os adolescentes trabalhavam em um evento e depois eram abusados sexualmente.

"Hoje de manhã recebemos uma denúncia do Conselho Tutelar dizendo que quatro ônibus sairiam de Bauru com destino a São Carlos, Sorocaba e Araçatuba, levando menores para trabalhar em uma festa e que esses menores, após a realização do evento, seriam abusados sexualmente. Além disso, a denúncia relatava que esses menores passavam fome e fariam parte de um esquema que funcionava como uma espécie de trabalho escravo", disse a delegada.

Segundo a delegada, quando os investigadores chegaram ao local indicado, dois ônibus já haviam saído, mas em outros dois, foram detidas as mulheres e os adolescentes. Segundo Luciana, o representante da empresa que recrutou os menores confirmou à polícia que realmente os contratou, mesmo sabendo da ilegalidade. "Ele disse que preferia ver os menores trabalhando que vendendo drogas nas ruas, mas negou a denúncia de abuso".

De acordo com a delegada, a denúncia de abuso sexual foi feita ao Conselho pelo disque-denúncia. Segundo ela, um inquérito para apurar o caso foi aberto e deverá ouvir todas as pessoas que estavam nos ônibus, que são ligadas à empresa e ainda outras que participariam das festas. As mulheres foram ouvidas pela delegada e liberadas. Já os adolescentes, foram enviados para o Conselho Tutelar e familiares.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como