A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Centro de Defesa lança ´Atlas do Trabalho Escravo no Maranhão´

Estima-se que existem hoje no mundo, cerca de 12 milhões de seres humanos trabalhando em situação análoga a escravidão. Segundo estimativas da Comissão Pastoral da Terra – CPT, no Brasil, são mais de 25 mil trabalhadores escravos. São homens, mulheres e crianças aprisionados, sobre as mais degradantes condições, sujeito às mais variadas formas de violência. O estado do Maranhão ocupa lugar de destaque no quadro dos estados onde mais se fornece mão-de-obra para o trabalho escravo, sendo que a maioria de trabalhadores resgatados em outras unidades da federação, principalmente no estado vizinho, Pará, são maranhenses. Nesse sentido, o Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia -MA, (CDVDH), visando elucidar para os diversos meios sociais a problemática da escravidão atual no Brasil, lança o "Atlas Político-Jurídico do Trabalho Escravo Contemporâneo no Maranhão". A obra fornece as informações que constam no acervo do CDVDH e de diferentes órgãos governamentais. Trata-se, ainda, da analise do conjunto de dados sobre os processos envolvendo a prática do Trabalho Escravo, em dezenas de fazendas no Maranhão. Com um conteúdo distribuído em 7 (sete) capítulos, o Atlas apresenta, também, um estudo sobre as figuras dos peões "escravizados", o patrão "proprietário de terras" e o gato "o aliciador", personagens de destaque no processo de Trabalho Escravo. Faz uma avaliação das fiscalizações e de vários processos em andamentos na justiça, questionando porque a impunidade impera nos casos.Por fim, reflete sobre os planos criados pelos governos para erradicar o trabalho escravo. Para o lançamento estará presente representantes do poder judiciário, de parlamentares federais e estaduais, membros da comissão de direitos humanos da OAB-MA, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, do Provita, (Programa Estadual de Proteção a Testemunhas) do Ministério do Trabalho e a presença do diretor da Agência Asturiana de Cooperação para o Desenvolvimento, Marcos Cienfuegos. Serviço:Livro: Atlas Político-Jurídico do Trabalho Escravo Contemporâneo no MaranhãoData de lançamento: 27 de janeiroHorário:19hLocal: Sede do CDVDH, na Rua Bom Jesus, 576, centro. Mais informações: 99 3538 2383Reynaldo Costa 99 8144 5903 – [email protected] de Defesa 99 3538 2383

Estima-se que existem hoje no mundo, cerca de 12 milhões de seres humanos trabalhando em situação análoga a escravidão. Segundo estimativas da Comissão Pastoral da Terra – CPT, no Brasil, são mais de 25 mil trabalhadores escravos. São homens, mulheres e crianças aprisionados, sobre as mais degradantes condições, sujeito às mais variadas formas de violência.

O estado do Maranhão ocupa lugar de destaque no quadro dos estados onde mais se fornece mão-de-obra para o trabalho escravo, sendo que a maioria de trabalhadores resgatados em outras unidades da federação, principalmente no estado vizinho, Pará, são maranhenses.

Nesse sentido, o Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia -MA, (CDVDH), visando elucidar para os diversos meios sociais a problemática da escravidão atual no Brasil, lança o "Atlas Político-Jurídico do Trabalho Escravo Contemporâneo no Maranhão".

A obra fornece as informações que constam no acervo do CDVDH e de diferentes órgãos governamentais. Trata-se, ainda, da analise do conjunto de dados sobre os processos envolvendo a prática do Trabalho Escravo, em dezenas de fazendas no Maranhão.

Com um conteúdo distribuído em 7 (sete) capítulos, o Atlas apresenta, também, um estudo sobre as figuras dos peões "escravizados", o patrão "proprietário de terras" e o gato "o aliciador", personagens de destaque no processo de Trabalho Escravo. Faz uma avaliação das fiscalizações e de vários processos em andamentos na justiça, questionando porque a impunidade impera nos casos.Por fim, reflete sobre os planos criados pelos governos para erradicar o trabalho escravo.

Para o lançamento estará presente representantes do poder judiciário, de parlamentares federais e estaduais, membros da comissão de direitos humanos da OAB-MA, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, do Provita, (Programa Estadual de Proteção a Testemunhas) do Ministério do Trabalho e a presença do diretor da Agência Asturiana de Cooperação para o Desenvolvimento, Marcos Cienfuegos.

Serviço:
Livro: Atlas Político-Jurídico do Trabalho Escravo Contemporâneo no Maranhão
Data de lançamento: 27 de janeiro
Horário:19h
Local: Sede do CDVDH, na Rua Bom Jesus, 576, centro. Mais informações: 99 3538 2383
Reynaldo Costa 99 8144 5903 – [email protected]
Centro de Defesa 99 3538 2383


Apoie a Repórter Brasil

saiba como