A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

CPI do Trabalho Escravo convoca 5 testemunhas do setor da construção

Entre os nomes estão o gerente regional do Ministério do Trabalho e coordenadores de sindicatos Os vereadores que apuram o trabalho escravo nas obras da construção civil em Campinas vão se reunir nesta quarta-feira (10) para ouvir representantes de várias entidades ligadas ao setor, a partir das 14h, no Plenarinho da Câmara Municipal. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) convocou o gerente regional do Ministério do Trabalho Sebastião Jesus da Silva, o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústria da Construção e do Mobiliário de Campinas Francisco Aparecido da Silva, o secretário de Emprego e Renda Sebastião Arcanjo, o coordenador regional da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Carlos Eduardo Fábio e o representante do Sindicato dos Arquitetos, Ari Fernandes. A primeira reunião da comissão foi feita no dia 27 de abril e a previsão do término dos trabalhos é no dia 25 de agosto. No entanto, os vereadores estudam pedir a prorrogação do prazo. CasosO número de denúncias de trabalho escravo na construção civil no Ministério do Público do Trabalho (MPT) aumentou 50% na Região Metropolitana de Campinas (RMC). No primeiro trimestre de 2010, foram 17 denúncias contra empresas da construção civil na região de Campinas e no primeiro trimestre deste ano, foram 25. Em fevereiro, três empreiteiros foram presos pela Polícia Federal por suspeita de manter 26 operários em regime de trabalho escravo. Eles estavam em um alojamento com péssimas condições de higiene. CâmaraA CPI é formada pelo vereador Jairson Canário (PT), Sérgio Benassi (PC do B), Miguel Arcanjo (PSC), Sebastião dos Santos (PMDB), Luis Yabiku (PDT), Luiz Henrique Cirilo (PPS) e Élcio Batista (PSB). O vereador-licenciado Luis Yabiku, deve ser substituído através de sorteio.

Entre os nomes estão o gerente regional do Ministério do Trabalho e coordenadores de sindicatos

Os vereadores que apuram o trabalho escravo nas obras da construção civil em Campinas vão se reunir nesta quarta-feira (10) para ouvir representantes de várias entidades ligadas ao setor, a partir das 14h, no Plenarinho da Câmara Municipal.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) convocou o gerente regional do Ministério do Trabalho Sebastião Jesus da Silva, o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústria da Construção e do Mobiliário de Campinas Francisco Aparecido da Silva, o secretário de Emprego e Renda Sebastião Arcanjo, o coordenador regional da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Carlos Eduardo Fábio e o representante do Sindicato dos Arquitetos, Ari Fernandes.

A primeira reunião da comissão foi feita no dia 27 de abril e a previsão do término dos trabalhos é no dia 25 de agosto. No entanto, os vereadores estudam pedir a prorrogação do prazo.

Casos
O número de denúncias de trabalho escravo na construção civil no Ministério do Público do Trabalho (MPT) aumentou 50% na Região Metropolitana de Campinas (RMC). No primeiro trimestre de 2010, foram 17 denúncias contra empresas da construção civil na região de Campinas e no primeiro trimestre deste ano, foram 25.

Em fevereiro, três empreiteiros foram presos pela Polícia Federal por suspeita de manter 26 operários em regime de trabalho escravo. Eles estavam em um alojamento com péssimas condições de higiene.

Câmara
A CPI é formada pelo vereador Jairson Canário (PT), Sérgio Benassi (PC do B), Miguel Arcanjo (PSC), Sebastião dos Santos (PMDB), Luis Yabiku (PDT), Luiz Henrique Cirilo (PPS) e Élcio Batista (PSB). O vereador-licenciado Luis Yabiku, deve ser substituído através de sorteio.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como