A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

MPT averigua se há trabalho escravo no Centro de Convenções; Suplan nega e fala em factóide político

O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT), Eduardo Varandas, afirmou nesta sexta-feira (27) que irá averiguar denúncia veiculada na Imprensa, que possam existir trabalhadores em regime de semi-escravidão nas obras do Centro de Convenções. "Não recebemos nenhuma denúncia. Eu soube através da Imprensa. Como já é notícia podemos averiguar. Mas pode ser um denúncia política…", explica o procurador, dando a entender que o informação seja um factóide criado contra o governo de Ricardo Coutinho (PSB). "Mas vou fazer uma fiscalização. Vamos ver se há alguma violação da legislação", contou o procurador. O portal paraiba.com.br entrou em contato com o secretário executivo da Secretaria de Infra-Estrutura, Carlos Alberto Dantas, que também ficou surpreso com a informação. Dantas contou que quem cuida da obra é a Suplan que fez o contrato com a Via Engenharia, construtora que toca a construção. Segundo o superintendente da Suplan, Orlando Soares, é feita fiscalização direta e diária dos trabalhos da Via Engenharia e não há nenhuma irregularidade. "Para a Suplan esse fato não existe. A Impresa está lá no momento e tem acesso a tudo. As portas estão abertas. Para a Suplan está tudo na normalidade. Não existe essa situação, isso é um factóide. Mas quem é melhor para falar sobre isso é a construtora. Ela é que tem que dar as explicações sobre a sua relação com o trabalhador", finalizou.

O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT), Eduardo Varandas, afirmou nesta sexta-feira (27) que irá averiguar denúncia veiculada na Imprensa, que possam existir trabalhadores em regime de semi-escravidão nas obras do Centro de Convenções.

"Não recebemos nenhuma denúncia. Eu soube através da Imprensa. Como já é notícia podemos averiguar. Mas pode ser um denúncia política…", explica o procurador, dando a entender que o informação seja um factóide criado contra o governo de Ricardo Coutinho (PSB). "Mas vou fazer uma fiscalização. Vamos ver se há alguma violação da legislação", contou o procurador.

O portal paraiba.com.br entrou em contato com o secretário executivo da Secretaria de Infra-Estrutura, Carlos Alberto Dantas, que também ficou surpreso com a informação. Dantas contou que quem cuida da obra é a Suplan que fez o contrato com a Via Engenharia, construtora que toca a construção.

Segundo o superintendente da Suplan, Orlando Soares, é feita fiscalização direta e diária dos trabalhos da Via Engenharia e não há nenhuma irregularidade. "Para a Suplan esse fato não existe. A Impresa está lá no momento e tem acesso a tudo. As portas estão abertas. Para a Suplan está tudo na normalidade. Não existe essa situação, isso é um factóide. Mas quem é melhor para falar sobre isso é a construtora. Ela é que tem que dar as explicações sobre a sua relação com o trabalhador", finalizou.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como