A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Um posicionamento em favor da liberdade na internet

Com abertura para livre reprodução de todo seu conteúdo, Repórter Brasil se posiciona em favor da liberdade de informação e contra a criação de mecanismos de controle na internet

Todo e qualquer conteúdo produzido pela ONG Repórter Brasil pode ser reproduzido livremente e sem custos, desde que citada a fonte. A indicação de autoria deve incluir o nome do autor da foto, reportagem ou pesquisa, bem como o da instituição e, quando possível, o link para a página em que o material foi originalmente publicado. A licença adotada é a Creative Commons 2.0, que pode ser consultada em formato resumido ou na íntegra.

A adoção da livre reprodução de conteúdo está relacionada à visão da ONG de que todos devem ter acesso à informação. Ideias devem ser compartilhadas. Encorajamos você a ajudar a difundir as denúncias, estudos e análises que publicamos.

Trata-se também de um posicionamento contrário às tentativas em curso de controle e censura da rede mundial de computadores. No exterior, há pelo menos três projetos que ameaçam acabar com a liberdade e a privacidade no uso da internet. Todos tem como base a defesa radical da propriedade intelectual e o combate à troca livre de arquivos e informações pela rede.

Sopa, Pipa e Acta
Em 18 de janeiro de 2012, alguns dos principais sites do planeta apagaram suas páginas temporariamente para protestar contra dois projetos de lei apresentados no Congresso dos Estados Unidos: o Stop Online Piracy Act (Sopa) e o Project IP Act (Pipa). Ambos preveem monitoramento total da rede, e mecanismos de controle tais como bloqueio de páginas específicas e punições a quem não obedecer as limitações para troca de arquivos e informações. As medidas propostas afetam até mesmo provedores de busca e, se aprovadas, tornariam a rede norte-americana tão controlada quanto a de alguns dos países com as piores ditaduras do mundo.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *