A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Trabalho escravo urbano

O fascículo “Trabalho Escravo Urbano” foi produzido pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil. Nessa iniciativa, assim como no fascículo “Trabalho Escravo e Destruição do Meio Ambiente”, o objetivo é fomentar o debate sobre o trabalho escravo contemporâneo dentro da sala de aula e nas comunidades como forma de prevenção e combate a este crime. O que caracteriza esta publicação é situar o tema do aliciamento e da exploração nas grandes cidades, mostrando que o trabalho escravo não é exclusividade do campo. Construção civil, confecções de roupas e tecidos e o mercado do sexo estão no foco desta discussão.

O fascículo “Trabalho Escravo Urbano” foi produzido pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil. Nessa iniciativa, assim como no fascículo “Trabalho Escravo e Destruição do Meio Ambiente”, o objetivo é fomentar o debate sobre o trabalho escravo contemporâneo dentro da sala de aula e nas comunidades como forma de prevenção e combate a este crime. O que caracteriza esta publicação é situar o tema do aliciamento e da exploração nas grandes cidades, mostrando que o trabalho escravo não é exclusividade do campo. Construção civil, confecções de roupas e tecidos e o mercado do sexo estão no foco desta discussão.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como