Tag: Direitos Humanos

Marcada para morrer

O roteiro que acabou resultando nos assassinatos do casal de extrativistas Maria do Espírito Santo da Silva e José Claudio Ribeiro da Silva está se repetindo. Desta vez, a vítima é Laísa Santos Sampaio, professora de 45 anos que segue a luta da irmã e do cunhado, que tiveram vida ceifada em maio deste ano. Ambos eram lideranças do Projeto de Assentamento Agroextrativista Praia Alta Piranheira, localizado a cerca de 50 quilômetros da sede do município de Nova Ipixuna (PA), no Sudeste do Estado. Laísa já recebeu recados diretos de que deveria se calar. Sua casa foi invadida e seu cachorro, alvejado por balas. Os mesmos sinais que foram dados antes das mortes de Maria e Zé Cláudio. Ela é o próximo alvo dos pistoleiros porque manteve a luta da irmã e, mesmo após as ameaças, não recebe proteção nenhuma. Juntamente com Claudelice Silva dos Santos, irmã de Zé Cláudio, Laísa esteve na sede da ONG Repórter Brasil em São Paulo (SP), no dia 29 de outubro, ocasião em que gravou o vídeo abaixo. Os familiares do casal de extrativistas enviaram uma carta ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, cobrando promessas não cumpridas – como a presença da Força Nacional no interior do Pará e a viabilização de fiscalizações do Instituto Nacional do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que não retormou mais ao assentamento. O documento também se estende a outros ministérios – como Direitos Humanos, Desenvolvimento Agrário – e também para a Ouvidoria Agrária Nacional. Segue abaixo a íntegra do documento: “Senhor Ministro, Passados quase 6 meses do assassinato de JOSÉ CLÁUDIO e MARIA DO ESPÍRITO SANTO,...

Tiros em acampamento

Ações violentas de pistoleiros contra acampados e assentados estão sendo denunciadas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) da região do Araguaia-Tocantins, que divulgou nota sobre tiros de arma de fogo no acampamento Vitória e na Vila do Assentamento Paciência, que abrigam famílias de trabalhadores e trabalhadoras rurais. Palmeirante, TO: Tiroteio no acampamento Vitória deixa dois pistoleiros feridos e famílias em clima de terror No início da noite desta 5ª feira, dia 27 de outubro, pelas 19 horas, dois homens armados, aparentemente embriagados e drogados, adentraram o acampamento Vitória, atirando na direção do barraco do Sr. Divino, xingando os sem-terra e procurando o Divino e o Noginel (tio do Divino e liderança do vizinho assentamento Santo Antônio). Reagindo ao tiroteio, uns dois ou três tiros saíram do lado dos acampados para proteger o grupo, já em estado de pânico. Os pistoleiros correram então para o outro lado da estrada, retornando à casa de uma assentada onde haviam sido vistos horas antes. Pouco depois, pelas 21 horas, por ocasião de uma ronda de rotina no local, a Polícia encontrou os dois homens, feridos, e os encaminhou para Araguaína onde continuam internados. No início da tarde do mesmo dia, os mesmos dois homens tinham trocado tiros na Vila do Assentamento Paciência, situado a 6 km, provocando terror entre os presentes que resolveram chamar a Polícia (porém, na chegada dos policiais, os mesmos haviam deixado o local). O acampamento Vitória foi constituído em novembro de 2010 por 19 famílias sem-terra dentro do lote 84 da Gleba Anajá, vizinho ao lote 83, ambos situados em área presumidamente da União, em apoio à reivindicação da criação de um assentamento pelo INCRA. Situado...