Tag: Trabalho Infantil

Paulistano usa carvão feito com trabalho escravo e infantil

Paulistano usa carvão feito com trabalho escravo e infantil

Piracaia (SP) – O morador de São Paulo e de outros municípios do estado que costumam fazer churrasco em casa ou ir às tradicionais churrascarias em sistema de rodízio pode, sem saber, estar contribuindo para a exploração de trabalho escravo e infantil que acontece a apenas cem quilômetros da capital. Uma megaoperação de fiscalização realizada nos dias 21 e 22 de janeiro nos municípios paulistas de Piracaia, Joanópolis e Pedra Bela encontrou 34 pessoas trabalhando em condições análogas à escravidão em carvoarias locais. Além disso, três dos doze estabelecimentos fiscalizados utilizavam trabalho infantil – sete crianças e adolescentes foram afastados do trabalho. A reportagem da Repórter Brasil acompanhou a fiscalização. A operação contou com a participação de dezenas de agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) da região de Atibaia (SP), quatorze auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), procuradores do Ministério Público do Trabalho (MPT), técnicos do Instituto Florestal, representantes da Advocacia Geral da União (AGU) e da Justiça do Trabalho. No total, em dois dias foram fiscalizadas doze carvoarias. Todos os trabalhadores explorados em regime de escravidão foram encontrados em Piracaia, em cinco estabelecimentos. As sete crianças e adolescentes afastadas estavam trabalhando em três carvoarias das três cidades onde a fiscalização aconteceu: quatro em Joanópolis, duas em Piracaia e uma em Pedra Bela. Por meio de um decreto presidencial de 2008, o trabalho em carvoaria está incluído na lista das piores formas de trabalho infantil, sendo vedado para qualquer pessoa que tenha menos de dezoito anos. A investigação teve início em 28 de novembro de 2013, quando agentes da PRF do apreenderam, num posto próximo à...
Megaoperação flagra trabalho escravo e infantil em carvoarias em São Paulo

Megaoperação flagra trabalho escravo e infantil em carvoarias em São Paulo

Piracaia (SP) – Quatro equipes compostas por auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Emprego, procuradores do Ministério Público do Trabalho, mais de 100 agentes da Polícia Rodoviária Federal, técnicos do Instituto Florestal, representantes da Advocacia Geral da União e da Justiça do Trabalho realizaram nesta terça-feira, 21, uma megaoperação de fiscalização em carvoarias no interior de São Paulo, a cerca de 90 km da capital. Além de infrações ambientais, as autoridades flagraram também trabalho escravo e infantil na produção de carvão que abastece supermercados e churrascarias da capital e de cidades do Estado. Segundo o primeiro balanço parcial da fiscalização, foram identificados 19 casos de exploração de trabalho escravo e dois de trabalho infantil em Piracaia (SP), além de quatro casos de trabalho infantil em Joanópolis (SP) e um em Pedra Bela (SP). Entre os problemas encontrados pelas equipes estão as condições degradantes a que os trabalhadores estavam submetidos, alguns dormindo em meio ao pó do carvão, sem acesso à água potável, banheiro ou qualquer equipamento de proteção mesmo trabalhando em ambientes com altíssima temperatura. Nos próximos dias, a investigação sobre as cadeias de produção e problemas sociais e ambientais identificados será aprofundada, com responsabilização dos envolvidos. A Repórter Brasil seguirá acompanhando e noticiando o caso. Leia também: Carvoarias representam um quinto das inclusões na ‘lista suja’ do trabalho escravo Estudo denuncia como indústria de ferro e aço lucra com escravidão e desmatamento Crianças produziam carvão com restos em lixão Duas carvoarias são flagradas com trabalho escravo em Goiás...
Reportagens retratam trabalho infantil em Santa Catarina

Reportagens retratam trabalho infantil em Santa Catarina

A realidade de meninos e meninas que trabalham no interior de Santa Catarina é tema de série de reportagens em áudio reunidas no site “Não é brincadeira – o trabalho infantil que Santa Catarina não vê“.  Com base em uma viagem feita por à Novo Horizonte (SC) e entrevistas em Florianópolis, capital do Estado, a investigação jornalística apresenta depoimentos de crianças que tentam conciliar os estudos com atividades rurais, e aborda a dificuldades de se enfrentar o problema em função da naturalização do trabalho infantil.  A reportagem destaca que, em Santa Catarina, há crianças trabalhando não só em lavouras, mas também em outras atividades como madeireiras, marmorarias, olarias, confecções de sapatos. O site foi organizado por Jessica Melo e Jéssica Butzge, e apresentado como trabalho de conclusão de curso de jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. As reportagens podem ser ouvidas e baixadas no site Não é brincadeira.   Veja também os especiais da Repórter Brasil: Meia infância – desafios do combate ao trabalho infanto juvenil Mapa Social – Sul: “maravilha” seletiva – existe pobreza na região apontada como a mais desenvolvida do...

Repórter Brasil recebe reconhecimento por contribuições no combate ao trabalho infantil

A Repórter Brasil foi homenageada durante a cerimônia de comemoração dos 20 anos de criação do Fórum Estadual da Erradicação do Trabalho Infantil, Proteção e Aprendizagem do Adolescente Trabalhador do Rio Grande do Norte (FOCA/RN). Vinculado à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, o fórum é composto por mais de 30 entidades e inclui representantes dos governos Federal, Estadual e Municipal, do empresariado e de centrais sindicais. A celebração aconteceu no último dia 3. “Consideramos a ONG Repórter Brasil um veículo de comunicação de suma relevância e seriedade, cumprindo suas finalidades de informar, investigar e educar a sociedade, levando aos brasileiros as cenas e os conhecimentos de diversos problemas que podemos resolver coletivamente. Ao Abordar o tema trabalho infantil, o programa difunde informações sérias e importantes sobre o assunto, razão pela qual o FOCA a escolheu para ser uma das contempladas com a estatueta Amigos do Futuro”, afirmou em nota a auditora fiscal Marinalva Cardoso Dantas, coordenadora do FOCA. “A Repórter Brasil ficará merecidamente na história deste fórum pelas ações positivas em prol das crianças e adolescentes”, completou. Desde setembro de 2012, a organização mantém o especial Meia Infância, com reportagens e denúncias sobre a exploração de crianças e adolescentes em todo o país. Este ano, além da cobertura jornalística, a equipe também preparou o relatório “Brasil Livre de Trabalho Infantil: o debate sobre as estratégias para eliminar a exploração de crianças e adolescentes”, documento que tem como objetivo fortalecer o debate sobre como aprimorar o combate e erradicar tal prática. O lançamento aconteceu durante sessão da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Humanos, no Congresso Nacional, em Brasília....