A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Agricultores da Califórnia temem colapso com escassez de imigrantes sem visto

Como consequência das dificuldades econômicas na região, maioria dos californianos defende leis mais flexíveis para estrangeiros pela primeira vez na história

O governo dos EUA fechou o cerco contra o fluxo clandestino na divisa com o México na última década. Do lado mexicano, foram notadas melhorias contínuas nos índices sociais, como queda no desemprego. Do outro lado da fronteira, no entanto, surgiu uma consequência inesperada e indesejada com a forte redução na entrada de trabalhadores sem visto, que já foi de 200 mil pessoas por ano.

Com a escassez de latinos, empresários já falam em colapso na agricultura da Califórnia para os próximos meses, caso não seja permitida a entrada de novos trabalhadores pela fronteira mexicana. Desde 2011, a imigração ilegal entre os países é de 0%, segundo pesquisa do instituto de pesquisas PHC (Pew Hispanic Center).

“Nós precisamos da força de trabalho dos imigrantes. Cerca de 70% dos trabalhos nas fazendas e na agricultura da Califórnia são feitos por trabalhadores sem visto. Sem eles não temos negócio”, afirma a Opera Mundi o diretor da Confederação dos Agricultores da Califórnia, Rayne Pegg.

WikicommonsDivisa entre EUA e México: agricultores da Califórnia pedem uma urgente reforma para que novos trabalhadores possam entrar no país

Apreensivos com uma possível crise, empresários do setor agrário da Califórnia – o maior dos EUA e um dos mais importantes do mundo – clamam por leis mais flexíveis, que permitam a entrada de trabalhadores mexicanos pelas fronteiras. Constantes intervenções policiais, deportando estrangeiros, têm afastado ainda mais os trabalhadores desse Estado e esvaziado as lavouras.

“São esses trabalhadores, chamados de ilegais, os responsáveis por colocar frutas e comida na nossa mesa. Acredito que deva ser aprovada uma lei que permita aos trabalhadores receberem uma documentação legal para trabalhar”, argumenta Pegg.

“Marco na história”
Em meio à pressão dos agricultores por reformas na lei migratória, uma pesquisa divulgada nesta semana pela Universidade da Califórnia Dornsife e o jornal LA Times revelou que, pela primeira vez na história da Califórnia, a maioria da população é favorável à presença de imigrantes e à regularização da documentação daqueles que estão sem visto.

Segundo o levantamento, apenas 19% dos californianos acreditam que os estrangeiros devem deixar o país. Cerca de 74% defendem que o país implemente uma nova lei que favoreça os imigrantes que entraram de forma irregular em seu território. Os números expressivos são tratados pelos responsáveis pela pesquisa como “um marco na história”.

“É uma mudança fundamental na forma como os cidadãos enxergam a contribuição dos imigrantes ilegais no país. É claro que o resultado mostra que os californianos querem uma reforma mais abrangente promulgada o mais rápido possível. Mesmo com a oposição dos republicanos, 74% da população acreditam que imigrantes deveriam receber uma cidadania norte-americana. Esse é um número histórico”, afirma o diretor da pesquisa Dan Schnur.

Wikicommons

Califórnia tem um dos mais ricos e eficientes sistemas agrários do mundo; são 39 bilhões de dólares movimentados todos os anos

Trabalhadores ilegais, sobretudo os mexicanos, são forçados a trabalhar em péssimas condições e sob o risco de serem deportados. O alto risco e melhores condições de vida no país natal fizeram que a Califórnia não fosse mais um destino tão atrativo como antigamente.

“Uma vez que esses trabalhadores sejam legalizados, além de poderem colaborar ainda mais com a economia do país, eles vão poder se organizar em sindicatos, lutar por direitos e não aceitar nunca mais abusos, discriminações e as ameaças de deportação”, afirma a diretora da União dos Trabalhadores Agrários da Califórnia, Maria Machuca.

Um estudo do CAPI (Center for American Progress and the Immigration Policy Center) afirma que, se o governo norte-americano chegar a um acordo flexível quanto à reforma migratória, o crescimento de empregos pode alcançar o número de 900 mil novas vagas e um lucro líquido de 5,4 bilhões de dólares.

Atualmente, o setor agropecuário da Califórnia é responsável pela movimentação de cerca de 39 bilhões de dólares (cerca de 79 bilhões de reais) por ano. O número de imigrantes que trabalha nos EUA é de 2 milhões de pessoas, sendo que metade atua sem visto. Apenas na Califórnia são 600 mil sem a documentação legal.

Fonte: http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/28065/agriculturores+da+california+temem+colapso+com+escassez+de+imigrantes.shtml


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *