Transparência: As contas da Repórter Brasil

A Repórter Brasil possui convênios com agências das Nações Unidas e instituições norte-americanas e europeias e projetos desenvolvidos com o apoio de institutos e fundações brasileiras, além de pesquisas em parceria com universidades brasileiras e europeias. Conta também com recursos de convênios com instituições federais via editais públicos, apenas para a área de educação, e com governos estaduais, Ministério Público e Poder Judiciário. E com doações, apoios, patrocínios e anúncios de empresas que atuam em território nacional e recebemos doações de pessoas físicas interessadas em apoiar nossos projetos.

Todos os programas desenvolvidos pela Repórter Brasil geram relatórios em que os processos, os resultados e os impactos são analisados, além de contarem com minuciosas prestações de contas. Anualmente, a organização passa por uma auditoria externa e os resultados são publicados e enviados a todos os parceiros. Clique para ler:

Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2015 
Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2014

Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2013
Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2012

A) Política de financiamento

1) A Repórter Brasil não aceita financiamento de empresas e pessoas que esteja na “lista suja” do trabalho escravo;

2) A Repórter Brasil não aceita recursos de empresas que tenham sido citadas pela organização em denúncias de degradação ambiental e formas de exploração social e trabalhista por, pelo menos, um ano;

3) O coordenador geral da Repórter Brasil é proibido de comprar e vender ações em âmbito particular;

4) O programa de jornalismo da Repórter Brasil não aceita financiamento de governos federal, estaduais e municipais;

5) O financiamento público para os programas da Repórter Brasil não pode ultrapassar 30% do total do orçamento da organização;

6) A Repórter Brasil não cobra por palestras e qualquer informações solicitadas por órgãos e atores do Estado, instituições educacionais, imprensa e organizações e movimentos sociais.

B) De onde vêm os recursos para a Repórter Brasil executar seus programas
Convênios, parcerias, apoios, patrocínios, anúncios e doações

Em 2016

a) Área de Jornalismo e Pesquisa: Centre for Research on Multinational Corporation (Somo), DGB, Finwatch, Fundação Friedrich Ebert, Fundação Rosa Luxemburgo, Global Forest Watch, Ministério Público do Trabalho, Mongabay, Open Society, Swedwatch, The Sigrid Rausing Trust, doações de pessoas físicas pelo site da organização via assinaturas, doações de pessoas jurídicas e recursos oriundos da veiculação de documentários em outros países em parceria com a Scorpion TV.

b) Área de Metodologia Educacional: Fundo Nacional de Solidariedade – Cáritas Brasileira, Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará, Ministério Público do Trabalho, Organização Internacional do Trabalho e TAM Linhas Aéreas.

c) Institucional: Freedom For All e doações de pessoas físicas pelo site da organização.

Em 2015

a) Área de Jornalismo e Pesquisa:  Catholic Relief Service, Centre for Research on Multinational Corporation (Somo), Cooperativa Mista de Produção, Danwatch, DGB, Finwatch, Industrialização e Comercialização de Biocombustíveis do Brasil (Cooperbio), Fundação Friedrich Ebert, Fundação Heinrich Böll, Global Forest Watch, Greenpeace, Institute for Human Rights and Business, Ministério Público do Trabalho, Open Society, Pindorama Filmes, The Sigrid Rausing Trust, doações de pessoas físicas pelo site da organização via assinaturas, doações de pessoas jurídicas e recursos oriundos da veiculação de documentários em outros países em parceria com a Scorpion TV.

b) Área de Metodologia Educacional: Brazil Foundation, Catholic Relief Service, Fundo Nacional de Solidariedade – Cáritas Brasileira, Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará, Ministério Público do Trabalho, Organização Internacional do Trabalho, TAM Linhas Aéreas e doações de pessoas jurídicas.

c) Institucional: Free the Slaves, Freedom For All e doações de pessoas físicas pelo site da organização.

Em 2014

a) Área de Jornalismo e Pesquisa: Centre for Research on Multinational Corporation (Somo), Cordaid, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Free the Slaves, Fundação Friedrich Ebert, Fundação Heinrich Boll, Institute for Human Rights and Business, Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol, Ministério Público do Trabalho, Organização Internacional do Trabalho, The Sigrid Rausing Trust, Catholic Relief Service, Fundação Rosa Luxemburgo, Walk Free e doações de pessoas físicas pelo site da organização via assinaturas ou através de crowdfunding (via o site Catarse) e de recursos oriundos da veiculação de documentários em outros países em parceria com a Scorpion TV.

b) Área de Metodologia Educacional: Cáritas Brasileira, Catholic Relief Service, Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará, Ministério Público do Trabalho, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Mato Grosso, TAM Linhas Aéreas e doações de pessoas físicas e jurídicas.

c) Institucional: Freedom For All e doações de pessoas físicas pelo site da organização

Em 2013

a) Área de Jornalismo e Pesquisa: Centre for Research on Multinational Corporation, Cordaid, Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Free the Slaves, Fundação Heinrich Boll, Fundação Telefônica, Instituto Wal-Mart, Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol, Ministério Público do Trabalho, Organização Internacional do Trabalho, The Sigrid Rausing Trust, Catholic Relief Service. Além de doações de pessoas físicas pelo site da organização ou através de crowdfunding via o site Catarse e de recursos oriundos da veiculação de documentários em outros países em parceria com a Scorpion TV.

b) Área de Metodologia Educacional: Catholic Relief Service, Grupo de Articulação Interinstitucional para a Erradicação do Trabalho Escravo do Pará, Ministério Público do Trabalho, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos do Mato Grosso, TAM Linhas Aéreas e doações de pessoas físicas e jurídicas.

c) Institucional: Freedom For All e doações de pessoas físicas pelo site da organização

C) Balanço patrimonial e Parecer da auditoria
Fundada em 2001, a organização avança na consolidação de conquistas importantes nas áreas de jornalismo, pesquisa e educação. Seguimos com nossa política de transparência, apresentando balanço patrimonial, bem como parecer da auditoria atestando a veracidade das informações apresentadas

2015
Balanço patrimonial 2016 – ano base 2015
Parecer da auditoria 2016 – ano base 2015

Natureza das fontes de recursos que custearam as atividades em 2015: a) Própria (doações de associados e prestação de serviços): 0,33%; b) Privada (doações, patrocínios e parcerias com empresas e entidades privadas, além de doações de pessoas físicas): 31,99%; c) Pública (convênios com órgãos ou entidades públicas): 5,54%; d) Internacional (convênios com entidades e organizações internacionais): 62,14%.

2014
Balanço patrimonial 2015 – ano base 2014
Parecer da auditoria 2015 – ano base 2014

Natureza das fontes de recursos que custearam as atividades em 2014: a) Própria (doações de associados e prestação de serviços): 1,51%; b) Privada (doações, patrocínios e parcerias com empresas e entidades privadas, além de doações de pessoas físicas): 28,46%; c) Pública (convênios com órgãos ou entidades públicas): 21,34%; d) Internacional (convênios com entidades e organizações internacionais): 48,69%.

2013
Balanço patrimonial 2014 – ano base 2013
Parecer da auditoria 2014 – ano base 2013

Natureza das fontes de recursos que custearam as atividades em 2013: a) Própria (doações de associados e prestação de serviços): 0,65%; b) Privada (doações, patrocínios e parcerias com empresas e entidades privadas, além de doações de pessoas físicas): 38,99%; c) Pública (convênios com órgãos ou entidades públicas): 27,38%; d) Internacional (convênios com entidades e organizações internacionais): 32,98%.

2012
Balanço patrimonial 2013 – ano base 2012
Parecer da auditoria 2013 – ano base 2012 

Natureza das fontes de recursos que custearam as atividades em 2012: a) Própria (doações de associados e prestação de serviços): 5%; b) Privada (doações, patrocínios e parcerias com empresas e entidades privadas, além de doações de pessoas físicas): 34%; c) Pública (convênios com órgãos ou entidades públicas): 26%; d) Internacional (convênios com entidades e organizações internacionais): 35%.

2011
Balanço patrimonial 2012 – ano base 2011
Parecer da auditoria 2012 – ano base 2011

D) Síntese das Atividades
Aqui você encontra um breve relatório com as principais atividades desenvolvidas pela Repórter Brasil ao longo dos últimos anos, bem como seus objetivos, o público para o qual foram destinadas e os resultados obtidos. 

Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2015
Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2014
Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2013
Síntese das Atividades da Repórter Brasil em 2012

E) Doações de pessoas físicas e jurídicas

Em setembro de 2011, a organização não governamental Repórter Brasil foi reconhecida pelo Ministério da Justiça como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Tal valorização, permitiu o recebimento de doações dedutíveis do imposto de renda por parte de empresas que se identificam com o trabalho e os valores defendidos pela instituição.

Em 2012, passamos a receber doações diretas de pessoas físicas, o início da construção de mecanismos para garantir e fortalecer a independência financeira da organização e, desta maneira, a possibilidade de manter e ampliar os projetos de jornalismo independente desenvolvidos na última década. Em 2012, também, adotamos licença aberta Creative Commons, que permite a reprodução de todo o conteúdo que produzimos desde que citada a fonte.

Em 2013, lançamos nossa campanha de assinaturas. Com apenas R$ 9,00, descontados mensalmente do cartão de crédito, o leitor ajuda a a Repórter Brasil a continuar produzindo conteúdo totalmente aberto, gratuito e de qualidade sobre a escravidão contemporânea no Brasil. Todos os apoiadores recebem, ao final de cada ano de sua contribuição, um relatório digital mostrando como a entidade aplicou o  dinheiro, e um balanço feito por uma empresa independente de auditoria.