05/06/2013 - 09:28

Em protesto global, organizações denunciam violações trabalhistas do McDonald´s

Ações acontecem nesta quinta-feira e estão previstas em ao menos 33 países em todo o mundo. Em nota, empresa diz que valoriza e respeita empregados

Por Daniel Santini | Categoria(s): Notícias

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter50Share on Google+4Email this to someone
Pôster da campanha internacional. Clique na imagem para ampliar.

Pôster da campanha internacional. Clique na imagem para ampliar.

Organizações não-governamentais, sindicatos e associações de defesa de direitos de imigrantes organizam um protesto global, nesta quinta-feira, 6, para denunciar violações trabalhistas por parte da rede de restaurantes McDonald´s. Ações devem acontecer em pelo menos 33 países (veja o site do protesto, em inglês). A campanha foi chamada de “Não Amo Tudo Isso”, uma alusão ao slogan da empresa “Amo Muito Tudo Isso”, e foi coordenada pela associação norte-americana National Guestwork Alliance (ou Associação Nacional de Trabalhadores Imigrantes, em português).

Entre as principais reclamações das diferentes organizações que participam do protesto estão abusos trabalhistas recorrentes, violações de direitos básicos de trabalhadores imigrantes (clique aqui para ver vídeo em inglês) e práticas de restrição à livre associação sindical. O protesto global teve início com mobilização de trabalhadores imigrantes nos Estados Unidos. Em nota, a assessoria de imprensa do McDonald´s afirma que o grupo valoriza e respeita seus empregados e que eles recebem salários “competitivos”.

No Brasil, estão previstas ações em São Paulo, com apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Sindicato dos Trabalhadores em Gastronomia e Hospedagem de São Paulo e Região (Sinthoresp). A empresa Arcos Dourados, maior franquia do McDonald´s no país, enfrentou problemas trabalhistas recentes. Em março, a juíza Virgínia Lúcia de Sá Bahia, da 11ª Vara do Trabalho do Recife, determinou que em todo o país a empresa parasse de adotar jornadas móveis variáveis e deixasse de proibir que cada um leve sua própria alimentação para consumir no refeitório.

A ação que originou no processo foi movida pelo procurador do Trabalho Leonardo Osório Mendonça. Para o MPT, a “jornada móvel variável não permite que o trabalhador tenha qualquer outra atividade, até mesmo porque, durante uma mesma semana de trabalho, ocorrem variações no que diz respeito ao horário de início e término do expediente”. Isso, ainda segundo o órgão, “faz com que o empregado esteja, efetivamente, muito mais tempo à disposição da empresa do que as oito horas de trabalho diárias previstas nos contratos ‘normais’ de trabalho, além de não garantir o pagamento sequer de salário-mínimo ao final do mês”. O McDonald´s, por sua vez, defende que a jornada variável é totalmente lícita, insiste que há decisões favoráveis na Justiça neste sentido e que alterações no regime estão sendo adotadas voluntariamente pela empresa tendo em vista favorecer os trabalhadores.

Mapa das ações previstas - clique para ver detalhes.

Mapa das ações previstas – clique para ver detalhes

Trabalho escravo
Além de apontar irregularidades trabalhistas, o Sinthoresp chegou a denunciar a empresa por exploração de trabalho escravo, o que culminou na abertura pela Polícia Federal (PF) do inquérito policial 0233/2012 em 16 de outubro de 2012. O assunto foi encaminhado para a Justiça e, em maio de 2013, retornou para mais investigações. A PF afirma que “investiga a suposta prática de crime previsto no artigo 149 do Código Penal, que trata de crime contra a organização do trabalho, crime de competência da Justiça Federal e atribuição de investigação da Polícia Federal” e que não informa detalhes sobre inquéritos em curso.

A PF ressalta que “se os fatos apurados indicarem a prática de irregularidades de ordem trabalhista – relação trabalhista empregado/empregador – tais como, falta de pagamento, péssimas condições de trabalho e afins, mas que não se enquadrarem na condição análoga à de escravo (trabalhos forçados, jornada exaustiva, condição degradante, restrição de locomoção etc.), não será da competência da Justiça Federal e sim da Justiça do Trabalho”. Ainda não há comprovação da prática por autoridades.

Desde 2009, o McDonald´s integra o Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo e pode ser suspenso se for comprovada a submissão de trabalhadores à escravidão. Na época, ao Comitê de Gestão do Pacto, a empresa afirmou que as alegações do Sinthoresp não têm qualquer suporte “fatídico ou legal”.

Banner da campanha financeira da Repórter Brasil

Tags: direitos trabalhistas, imigrantes, McDonald´s, sindicatos

9 comentários

  1. [...] Por Daniel Santini, no sítio Repórter Brasil: [...]

  2. Leonardo disse:

    Fechem logo essa porcaria! Odeio muito tudo isso! Odeio tudo que vem dos EUA!

  3. [...] este ano, no entanto, o McDonald’s foi alvo de um protesto internacional, ocorrido no último 6 de julho em pelo men…, principalmente contra trabalhadores imigrantes, e práticas contra a livre associação [...]

  4. Marcelo disse:

    Sobre esse assunto é tudo verdade os temas da reportagem, eu trabalho no Mc Donald´s a muitos anos na cidade de Campinas SP e desde o dia que entrei como atendente na lanchonete no final dos anos 90, eu como lanches todos os dias, a empresa proibe que se leva de casa qualquer outra opção de refeição, com a justificativa do risco de contaminação cruzada ou direta, nos produtos que são comercializados pela empresa. Começei na empresa como atendente, hoje eu sou gerente na empresa, passei por todos os processos de promoção para chegar ao nivel de gerente, e quanto maior o cargo, maior são os abusos praticados pela empresa, no meu caso, tenho que ir em reuniões gerenciais até mesmo nos dias em que estou de folga,a empresa tem um sistema de monitoramento de alarme que as vezes dá problema, e varias vezes meu telefone fixo ou celular tóca de madrugada entre 2:00 e 4:00 da manhã para avisar que o alarme esta com algum problema, e nesse caso o gerente tem que ir de madrugada na lója para ver o que esta ocorrendo, detalhe temos que ir até a lója abrir a pórta e entrar com a cara e a coragem, sem nenhum segurança. Nos dias de folga ou após os horários de trabalhos a empresa me liga para me passar recados ou solicitações de interesse dela, acontece também a tróca de folga sempre que a empresa julga necessário, ou seja por ex : estou de folga hoje e me ligam para ir trabalhar, durante uma semana as vezes vou trabalhar em 3 horarios diferentes, no caso da minha lója gerentes não recebem hóras extras e também adicional noturno, também não fazemos horário de refeição, apenas sentamos para comer, entre e 10 e 15 minutos para isso e ja voltamos ao trabalho, sem contar que muitas vezes trabalhamos mais de 8 horas por dia,e sem ganhar as horas extras. Conheço um gerente que trabalha na empresa a mais de 20 anos, e ele usa da sua experiência e cargo pra coagir funcionários a pedir demissão, ja vi ele fazer isso muitas vezes, e como a maioria das pessoas são inexperientes, se deixam levar pela pressão e pedem demissão contra a vontade. Nesse mes de junho de 2013 foi implantado arroz e feijão para os funcionários, porem temos que continuar comendo as mesmas carnes que são para fazer os lanches, não é permitido levar nenhuma opção de carne ou frango. Nós gerentes carregamos até mercadorias da empresa em nóssos própios carros, por que muitas vezes a empresa não quer pagar fréte para prestadodes de serviço, vou explicar o que acontece, tem franqueados que tem mais de uma lója , e ocórre de faltar algum produto, ai temos que pegar emprestado de outras lója da rede, por que não pode deixar de vender e somos proibidos de pagar frétes alternativo, e nesse caso temos que irmos com o nósso carro pessoal buscar e na maioria das vezes não somos reembolsados nem o combustivel. Trabalhamos sempre com o numero reduzido de funcionários , e somos obrigados a fazer o trabalho no padrão que a empresa exige, mesmo que não tenha condições, temos que se virar e dar um jeito. E se batermos de frente em busca dos nóssos direitos somos taxados de mal carater e que estamos jogando contra a empresa, até mesmo ao dar uma opinião e discordar de alguma coisa, somos chamados a atenção. No momento ainda trabalho na rede, mas tem pessoas que trabalharam comigo e que ao sair, foram em busca dos direitos violados pela empresa e que tiveram muitas causas ganhas pela justiça, o segredo é não ceder a pressão que eles fazem sobre nós, tem que ter pulso firme até o ultimo dia de trabalho, e não pedir demissão em hipotese alguma, tem que jogar o jogo e esperar eles mandar embora, por que um dia manda,principalmente se vc tem cargo de confiança e começa dar umas mancadas, como faltar, chegar atrazado, ir embora mais cedo, o segredo e começar a dar prejuizo na empresa, ai rapidino eles perdem a paciência e te mandam embora, é pena que não posso passar meus dados, por que conheço todos os atalhos pra tirar esses caras do sério, e com certeza seria muito valioso ajudar trabalhadores como eu que sófrem ou ja sofreram nas mão do Mc Donald´s…Ah uma dica valiosa pra vc que lê esse comentário, não roube,não agrida, não assedie, essas 3 coisas dão justa causa. Mesmo agora que estão implantando as refeições arroz e feijão no cardápio de funcionários, ainda sim tem as régras do quanto um trabalhador tem que comer, é a empresa que diz o quanto o funcionário vai comer, tem pessoas que são muito grandes e necessitam repetir, mas não podem, e no final do expediente eles comprar lanche para complementar o que faltou na refeição oferecida pela empresa.
    Eu como gerente ja cheguei a trabalhar até 16 horas no dia, todos os dias eu trabalho no minimo 10 horas por dia o que da 50 horas no final da semana, e não ganho horas extras por que tenho cargo de confiança.

  5. marcos antonio lobao disse:

    eu trabalho no mc donalds não aguento mais essa palhaçada de salario numca vem certo ñ trabalho de graça para ninguem ñ sou escravo de nimguem quero melhoria no trabalho e no sario que é uma porcaria

  6. carlos disse:

    TRABALHO NA EMPRESA DESDE 1991 POR TODO TEMPO QUE TENHO NA EMPRESA JA PRESENCIEI COISAS BIZARRAS,ASSEDIO MORAL,SEXUAL,GERENTES E FUNCIONARIOS FAZEREM ATE 14h DE TRABALHO POR DIA.NA HORA DA REFEIÇAO TEMOS QUE COMER SANDUICHES COM REFRIGERANTE.ESCALA DE FOLGA ENTAO NEM SE FALA,TEM DUAS FOLGA POR SEMANA ISSO QUANDO TEM,UMA E REMUNERADA E A OUTRA NAO.QUANDO ENTREI NA EMPRESA NAO TINHAM 100 LOJAS HOJE SAO QUASE 1000.TUDO ISSO COM BAIXOS SALARIOS ABAIXO DO PISO SALARIAL E JA COMPROVADO.
    CONTINUO NA EMPRESA MAS TENHO QUE ME PRONUNCIAR.TEM QUE TER MELHORES CONDIÇOES DE TRABALHO E MELHORES SALARIOS,PORQUE COMO ESTA NAO DA PARA FICAR. HORRIVEL.

  7. marcelle pereira disse:

    fui fucionaria do mc donalt e me demitiram gravida e não depositaram meu fundo de carantinha e so fincam me enrrolando

  8. nicole ferreira disse:

    oi eu trabalho na empresa e infelizmente tenho que concordar com todos os comentários, pois é uma vergonha empresa de grande porte agir assim e nem se fala a hora do break que é decidida pelo gerente de plantão e vc pode brecar assim que chega ex:vc pega 14:00 vc chega brecando volta as15:00 e fica sem comer ate a hr de for embora.. o trb é super cansativo não pode sentar em jornada de 8:45 em pé e quando falta algo na loja funcionario tem q ir buscar e trazer no braço…


Repórter Brasil

Trabalho Escravo

Referências

Sites