A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Nota da MRV sobre flagrante de trabalho escravo em obra em Macaé (RJ)

Construtora refuta as afirmações de que trabalhadores tenham sido resgatados por se encontrarem em condições degradantes e por existirem servidões por dívidas

Parte integrante da matéria “Construtora MRV é flagrada com escravidão pela quinta vez

“A MRV Engenharia informa que todos os trabalhadores envolvidos na fiscalização citada eram contratados diretamente pela MRV e prestavam serviços em locais que obedecem rigorosamente as normas trabalhistas , com todos os salários e benefícios em dia. A empresa confirma a fiscalização em uma de suas obras no município de Macaé, em meados do mês passado, porém refuta as afirmações de que trabalhadores tenham sido resgatados por se encontrarem em condições degradantes e por existirem servidões por dívidas. Os trabalhadores Inclusive, o grupo de auditores do trabalho, que já tinha estado nesta mesma obra dois meses antes, autorizou a permanência dos trabalhadores naquele alojamento.

Importante relatar que os trabalhos de fiscalização estenderam-se por sete dias e que, embora a fiscalização tenha se dado fora dos padrões usuais, todas as solicitações feitas pelos auditores e procurador do trabalho foram integralmente atendidas.

No que tange ao aliciamento, a MRV esclarece que contratou trabalhadores do Nordeste e que além de ter feito a sua admissão no Estado de origem, providenciou seu transporte, alimentação e hospedagem de acordo com as normas.

A MRV possui documentação comprobatória da veracidade de todo o alegado acima, incluindo laudo técnico atestando as condições de alojamento.

A companhia está segura que suas práticas negociais são totalmente corretas e irá tomar todas as medidas cabíveis para a defesa de sua imagem caso informações inverídicas sejam divulgadas, inclusive, com o ajuizamento de medidas judiciais e administrativas aos responsáveis pelas mesmas.”


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *