Nesta página, você encontra relatórios, cartilhas e livros desenvolvidos pela Repórter Brasil sobre impactos sociais, trabalhistas e ambientais para serem baixados gratuitamente

Capa Título Ano Tipo Tema

Brewing up a sustainable coffee supply chain

Estudo financiado pela União Europeia analisa as condições de trabalho em fazendas de café no Brasil, Honduras e Índia cuja produção é exportada para a Finlândia. A pesquisa revela que mesmo fazendas certificadas apresentam irregularidades, como discriminação de gênero e falta de equipamentos de proteção individual.

2016

Relatório

Café

Brazil, the new manufacturing hotspot for electronics?

In recent years, several electronics multinationals set up business in Brazil. It looked as if Brazil would become the next global manufacturing hub. In this paper Somo and Repórter Brasil aim to provide an overview of the current situation, both in terms of statistics and labour conditions, taking into account the situation in manufacturing hubs elsewhere in the world.

2015

Estudo

Eletrônicos

Experiências Comunitárias de Combate ao Trabalho Escravo e ao Tráfico de Pessoas – 2013

Neste caderno, a equipe do programa Escravo, nem pensar! apresenta 14 experiências comunitárias de combate e prevenção ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo contemporâneo, realizadas em sete estado, no ano de 2013.

2013

Coletânea educativa

Trabalho escravo

Ciclo do Trabalho Escravo (2ª edição)

Por meio de ilustração e texto informativo, o fascículo fornece uma visão de conjunto a respeito do trabalho escravo, destacando as etapas que compõem essa grave violação dos direitos humanos. Além disso, o material ressalta as principais linhas de ação para a quebra desse ciclo, muitas vezes, vicioso.

2015

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo contemporâneo

Tráfico de pessoas – Mercado de gente (2ª edição)

Por meio do material, o leitor entenderá o conceito de tráfico de pessoas, as finalidades da exploração das vítimas, o contexto do Brasil na geografia do tráfico e alguns mitos relacionados ao tema.

2016

Caderno temático

Tráfico de pessoas

Boletim Monitor #4: Os direitos dos peões na construção civil

Violações aos direitos dos trabalhadores na construção civil e a vulnerabilidade dos migrantes é o tema do quarto número do Monitor, boletim que divulga os estudos setoriais e de cadeia produtiva da Repórter Brasil

2016

Relatório

Construção civil

Boletim Monitor #3: Fast-fashion e os direitos do trabalhador

Terceiro número do Monitor, boletim que divulga os estudos setoriais e de cadeia produtiva da Repórter Brasil, aponta que terceirização estrutural está na base das violações dos direitos do trabalhador na indústria têxtil.

2016

Relatório

Indústria da moda

Boletim Monitor #2: Brazil’s poultry industry

In this second edition of Monitor, a newsletter that periodically publishes Repórter Brasil’s studies on economy sectors and production chains, we look into the billion dollar poultry industry, which grinds the rights of farmers and workers throughout the country.

2016

Relatório

Poultry industry

Boletim Monitor #2: A indústria do frango no Brasil

Neste segundo número do Monitor, boletim que divulga periodicamente os estudos setoriais e de cadeia produtiva da Repórter Brasil, destrinchamos a bilionária indústria do frango, que mói direitos de produtores rurais e trabalhadores pelo país.

2016

Relatório

Indústria do frango

Boletim Monitor #1: Globalization and concentration in Brazil’s agri-food system

In this study, we resort to the CR4 and CR8 indexes, which are extensively used for such analyses. These indicator s measure the per centage of the market in the hands of the largest companies – CR4 for the largest four and CR8 for the largest eight.

2015

Relatório

Food industry

Boletim Monitor #1: Globalização e concentração no sistema agroalimentar brasileiro

A Repórter Brasil apresenta ao público o primeiro número do Monitor, nova publicação eletrônica que oferecerá, periodicamente, os resultados das pesquisas setoriais e dos estudos de cadeia produtiva conduzidos pela organização. Esta primeira edição traz uma análise de caráter exploratório das dinâmicas do processo de globalização e concentração do setor agroalimentar brasileiro, entre 1995 e 2014.

2015

Relatório

Indústria de alimentação

Amazônia: Trabalho escravo + dinâmicas correlatas

Este material apresenta como se deu a ocupação na Amazônia nos últimos 50 anos a partir da expansão de grandes empreendimentos de agropecuária, mineração e hidroeletricidade. Também aborda as péssimas condições às quais muitos trabalhadores são submetidos, principalmente em atividades como limpeza de pasto, de abertura de fazendas e de produção de carvão vegetal para siderúrgicas.

2015

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

Trabalho escravo nas oficinas de costura

Este fascículo desvenda o ciclo do trabalho escravo no setor têxtil nacional. Um sistema que tem como vítimas mais comuns migrantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica de países sul-americanos, que chegam aqui à procura de melhores condições de vida.

2016

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

Experiências comunitárias de combate ao trabalho escravo e tráfico de pessoas – 2015

Em 2015, o programa Escravo, nem pensar!, por meio de seu 9º Fundo de Apoio a Projetos, apoiou 14 iniciativas de combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas em 13 municípios de sete estados brasileiros: Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará e Tocantins. Escolas e entidades contempladas difundiram a informação sobre violações de direitos humanos e mobilizaram suas comunidades em torno dessa agenda.

2016

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

Experiências educacionais de prevenção ao trabalho escravo no sul e sudeste do Pará

A coletânea Escravo, nem pensar! no sul e sudeste do Pará – Experiências educacionais de prevenção ao trabalho escravo reúne as principais ações do projeto de formação continuada que o programa Escravo, nem Pensar! realizou em 11 municípios com alta incidência de trabalho escravo no Estado: Canaã dos Carajás, Curionópolis, Itupiranga, Jacundá, Marabá, Nova Ipixuna, Palestina do Pará, Parauapebas, Piçarra, São Geraldo do Araguaia e Tucumã. A ação impactou mais de 35 mil pessoas em um período de 16 meses entre 2014 e 2015.

2016

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

A indústria eletroeletrônica do Brasil – Levantamento de dados

A indústria de eletrônicos brasileira integra o grande complexo eletroeletrônico instalado no país. Este relatório descreve os polos de produção espalhados pelo território, além das questões socioambientais que envolvem o setor. Diante dos problemas encontrados pelos fiscais do Ministério do Trabalho em grandes companhias como Samsung, o Ministério Público do Trabalho criou uma força-tarefa para reforçar as inspeções.

2015

Relatório

Eletrônicos

A agricultura familiar diante da expansão da cana-de-açúcar: subsídios para reflexão

A produção de cana-de-açúcar não é uma atividade típica da agricultura familiar. Isso não significa que agricultores familiares estejam alheios à recente expansão do setor sucroenergético, marcada pela concentração e internacionalização. Há outros impactos além da questão fundiária. Com a alienação da terra, os agricultores também deixam de produzir gêneros alimentares.

2015

Relatório

Cana-de-açúcar

Revista “Alimergia”

Cooperativas gaúchas ligadas ao Movimento dos Pequenos Agricultores, o MPA, desenvolvem projetos que unem produção de alimentos e biocombustíveis à preservação ambiental. Saiba mais sobre a implantação de agroflorestas e os desafios técnicos ainda enfrentados por agrônomos e produtores rurais.

2015

Revista

Agrocombustíveis

From moral responsibility to legal liability?

Modern day slavery conditions in the global garment supply chain and the need to strengthen regulatory frameworks: The case of Inditex-Zara in Brazil.

2015

Relatório

Indústria da moda

Da responsabilidade moral à responsabilização jurídica?

As condições de escravidão moderna na cadeia global de suprimentos da indústria do vestuário e a necessidade de fortalecer os marcos regulatórios: o caso da Inditex-Zara no Brasil.

2015

Relatório

Indústria da moda

O dendê na mira da lei

Relatório produzido pelo Centro de Monitoramento de Commodities e Agrocombustíveis da Repórter Brasil detalha as investigações realizadas pelo Ministério Público do Pará e o Ministério Público Federal a respeito dos impactos socioambientais relacionados à expansão do dendê no Estado.

2015

Estudo

Dendê

Experiências Comunitárias de Combate ao Trabalho Escravo e ao Tráfico de Pessoas – 2014

Esta publicação reúne 16 projetos dedicados ao combate do tráfico de pessoas e do trabalho escravo, desenvolvidos por escolas e entidades locais de municípios em diferentes estados brasileiros. As experiências comunitárias realizadas em 2014 foram apoiados pelo programa educacional Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil, por meio do 8º Fundo de Apoio do programa, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e TAM Linhas Aéreas.

2015

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

Tráfico de pessoas na imprensa brasileira

Fruto de uma pesquisa realizada entre janeiro de 2006 e julho de 2013, o documento apresenta um diagnóstico da cobertura sobre o tema do tráfico de pessoas nos principais veículos de comunicação do país, destacando os principais pontos críticos e lacunas.

2014

Relatório

Tráfico de pessoas

Tráfico de pessoas em pauta

Guia para jornalistas com referências e informações sobre enfrentamento ao tráfico de pessoas e estratégias para abordar o assunto em canais de mídia. Produzido em parceria com o Ministério da Justiça.

2014

Relatório

Tráfico de pessoas

Brasil livre de trabalho infantil

O documento traça um panorama das situações de exploração de crianças e adolescentes, no campo e na cidade, em território brasileiro. Além disso, apresenta as estratégias para o enfrentamento e erradicação dessa problemática.

2014

Relatório

Trabalho infantil

Conexões sustentáveis – Quem se beneficia com a destruição da Amazônia?

O estudo investiga os impactos socioambientais da produção de carvão, madeira e carne bovina na Amazônia, destacando casos de trabalho escravo, desmatamento ilegal e crimes fundiários. A iniciativa é do Fórum Amazônia Sustentável e do Movimento Nossa São Paulo.

2008

Estudo

Cadeias Produtivas

Grandes empresas, grandes negócios: é bom pra quem?

A publicação analisa o grau de concentração de três setores da economia brasileira – bens de consumo, telefonia e bancos –, oferecendo aos leitores os dados mais recentes e as críticas que envolvem o tema. Elaborado em parceria com a Fundação Friedrich Ebert (FES).

2014

Fascículo ilustrado

Concentração empresarial

Os impactos socioambientais da soja no Brasil – 2010

Este relatório, focado na safra 2009/10 da soja,  analisa aspectos da produção da cultura em regiões onde está consolidada – Mato Grosso – e onde novas fronteiras têm sido abertas – Oeste da Bahia –, da relação de usinas de biodiesel com a cadeia produtiva do grão, e das tendências das articulações de critérios de sustentabilidade, apontando alguns dos problemas que ainda permanecem latentes neste setor.

2010

Estudo

Questões socioambientais

Os impactos socioambientais da soja no Paraguai – 2010

O avanço da soja no Paraguai se deu a partir da fronteira com o Brasil, de onde agricultores partiram em busca de terras mais baratas, principalmente na última década. A lavoura de soja chegou a departamentos como Alto Paraná e Itapúa, causando a destruição da floresta original remanescente nessas regiões.

2010

Estudo

Questões socioambientais

Impactos da soja sobre Terras Indígenas no estado do Mato Grosso – 2010

A expansão da soja nas cercanias das Terras Indígenas não necessariamente resulta em relações entre as partes ou impactos sobre os índios, mas reforça uma preocupação já manifestada pelo movimento indígena do Cerrado.

2010

Estudon

Direitos indígenas

A agricultura familiar e o programa nacional de biodiesel – retrato do presente, perspectivas de futuro

Lançado em dezembro de 2004 com a meta de se tornar um exemplo de inclusão social da Era Lula, o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) completa seis anos de existência com resultados modestos nessa área.

2010

Estudo

Agrocombustíveis

O BNDES e sua Política Socioambiental – Uma crítica sob a ótica da sociedade civil organizada

O presente trabalho  analisa a política socioambiental do BNDES e sua confrontação com projetos polêmicos por ele financiados. Através da análise de informações e dados do próprio banco e entrevistas, conclui-se que o banco, de modo geral, não adota salvaguardas que de fato evitem o repasse de recursos para projetos de grande impacto.

2011

Estudo

Questões socioambientais

O etanol brasileiro no mundo – Os impactos socioambientais causados por usinas exportadoras

A intensificação do debate sobre a sustentabilidade da produção de etanol mundo afora, e a conseqüente criação de mecanismos de monitoramento pelos setores público e privado nos Estados Unidos e na Europa, não estão impedindo usinas brasileiras flagradas com irregularidades sociais e ambientais de exportarem o combustível para o exterior.

2011

Estudo

Agrocombustíveis

O avanço da soja e o Novo Código Florestal – Uma análise dos impactos em debate no Congresso

O avanço da soja e os debates sobre o Novo Código Florestal já põe em xeque mecanismos recentes de concertação socioambiental, como a Mesa Redonda e a Moratória da Soja. No caso da Mesa Redonda, o “Novo Código Florestal” pode ter influência direta no número de produtores capazes de obter a certificação.

2011

Estudo

Questões socioambientais

A Agricultura Familiar e o debate do Novo Código Florestal – O modelo de desenvolvimento do campo em pauta

A proposta do Novo Código Florestal que atravessou os corredores da Câmara para o Senado em 2011 foi comemorada pelos ruralistas como vitória. Mas ambientalistas, organizações da agricultura familiar, e uma parcela do governo se reorganizaram para encarar nova batalha no Senado.

2012

Estudo

Questões socioambientais

O Lado B da Economia Verde – Roteiro para uma cobertura jornalística crítica da Rio+20

Esta publicação traz definições, iniciativas no Brasil e fontes de informação com a intenção de contribuir para uma cobertura jornalística mais qualificada sobre os temas da economia verde, mudanças climáticas e Rio+20.

2012

Cartilha

Questões socioambientais

Em terras alheias – a produção de soja e cana em áreas Guarani no Mato Grosso do Sul

O Centro de Monitoramento de Commodities e Agrocombustíveis da ONG Repórter Brasil retorna ao Mato Grosso do Sul para aprofundar os estudos dos intensos impactos socioambientais gerados por plantadores de soja e cana – duas das principais culturas agrícolas do Estado – nos territórios indígenas Guarani.

2013

Estudo

Direitos indígenas

Ciclo do trabalho escravo

Neste vídeo, são apresentados os principais aspectos relacionados ao trabalho escravo contemporâneo no Brasil, como as etapas percorridas pelos trabalhadores – do aliciamento à libertação pelos órgãos públicos – e as linhas de ação necessárias para o combate dessa violação dos direitos humanos.

2014

Vídeo

Trabalho escravo

Trabalho escravo contemporâneo – 20 anos de combate (1995 – 2015)

Em 2015, o Brasil completa 20 anos de combate ao trabalho escravo. Desde 1995, quando o governo brasileiro reconheceu essa violação de direitos humanos no país, mais de 47 mil trabalhadores foram resgatados em condições degradantes de trabalho, submetidos a jornadas penosas e abusivas. Esta publicação, produzida pela Repórter Brasil e pelo Sinait (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho), apresenta as principais características do trabalho escravo contemporâneo e as ações realizadas para a erradicação dessa prática vergonhosa empreendida por atores da sociedade civil e do poder público.

2015

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

CICLO DO TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO

Por meio de uma ilustração e um texto informativo, o fascículo fornece uma visão de conjunto a respeito do trabalho escravo, destacando as etapas que compõem essa grave violação dos direitos humanos. Além disso, o material ressalta as principais linhas de ação para a quebra desse ciclo, muitas vezes, vicioso.

2014

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

ESCRAVO, NEM PENSAR! – EXPERIÊNCIAS COMUNITÁRIAS DE COMBATE AO TRABALHO ESCRAVO E AO TRÁFICO DE PESSOAS – 2013

Neste caderno, a equipe do programa Escravo, nem pensar! apresenta 14 experiências comunitárias de combate e prevenção ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo contemporâneo, realizadas por professores, lideranças comunitárias, entidades da sociedade civil e agentes pastorais. Essa publicação foi produzida pelo programa com apoio do Ministério Público do Trabalho para divulgar ações de indivíduos e entidades que defendem os direitos fundamentais do ser humano e inspirar novas experiências.

2014

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

Jogo digital Escravo, nem pensar!

O jogo digital Escravo, nem pensar! é um entretenimento e, sobretudo, um instrumento didático pedagógico para instigar a reflexão e a discussão desse tema complexo nas escolas e em outros ambientes. Por meio dele, o jogador se familiariza com as situações enfrentadas por trabalhadores submetidos ao trabalho escravo.

2014

Jogo educativo

Trabalho escravo

BIODIESEL, 10 ANOS – OS DESAFIOS DA INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA

O Centro de Monitoramento de Agrocombustíveis, coordenado pela ONG Repórter Brasil, analisa os avanços do Programa Nacional de Produção de Biodiesel ao longo desta primeira década de existência. O programa foi concebido pelo governo federal com um componente social importante e inédito: o estímulo à compra de matéria-prima produzida por agricultores familiares. No caderno, são discutidos os principais obstáculos que o programa precisa vencer para consolidar seu objetivo: produzir biodiesel de forma eficiente para desenvolver o país e garantir que os benefícios dessa atividade sejam apropriados por toda a sociedade. O material contou com apoio da Sigrid Rausing Trust e do Ministério Público do Trabalho.

2014

Caderno didático

Agrocombustíveis

MEIA INFÂNCIA – O TRABALHO INFANTO-JUVENIL NO BRASIL HOJE

Neste caderno temático, você vai encontrar uma série de informações: o que é trabalho infantil, e o que não é, suas piores formas, as consequências negativas; além disso, a legislação nacional e internacional que trata do assunto, dados do contexto brasileiro, sua relação com o trabalho escravo, o que tem sido feito e o que falta fazer para eliminar esse problema. Por fim, como contribuir com o enfrentamento, onde e como denunciar, os principais mitos, e uma sugestão de atividade para abordar o tema em sala de aula.

2014

Caderno didático

Trabalho infantil

Escravo, nem pensar! 10 anos: Memória e Registro

O livro comemorativo apresenta um panorama de ações e resultados alcançados pelo programa Escravo, nem pensar! nos seus 10 anos de existência. As páginas, ricamente ilustradas com fotos e imagens, exibem também considerações de entidades parceiras, relatos de educadores e educadoras que participam da rede do programa e depoimentos de ex-integrantes e da equipe atual do programa.

2014

Livro

Institucional

AS CONDIÇÕES DE TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Neste fascículo, destacamos algumas situações a que estão expostos milhares de trabalhadores do ramo e casos recentes de violações – como os de trabalho escravo e acidentes graves -, que mostram que ainda há muito a ser feito, principalmente, por parte das empreiteiras.

2014

Fascículo ilustrado

Condições de trabalho

As condições de trabalho no setor sucroalcooleiro

Nesta publicação, apresentamos um panorama geral do setor e destacamos os principais problemas enfrentados pelos trabalhadores nos canaviais em todo o país.

2014

Fascículo ilustrado

Condições de trabalho

MOENDO GENTE – A SITUAÇÃO DO TRABALHO NOS FRIGORÍFICOS

Este caderno temático produzido pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil, traz à tona as violações de direitos praticadas nos frigoríficos e aponta medidas para garantir melhores condições de trabalho nesses locais.

2013

Caderno didático

Condições de trabalho

Jogo de tabuleiro “Escravo, nem pensar!”

O jogo de tabuleiro Escravo, nem pensar! tem como objetivo difundir a luta para a erradicação do trabalho escravo e engajar o público infanto-juvenil nessa temática, por meio de uma abordagem lúdica e criativa. O manual do jogo apresenta componentes e regras, com exemplos de jogadas.

2013

Jogo educativo

Trabalho escravo

TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO: EDUCAR, PARA NÃO ESCRAVIZAR

Quem ainda não sabe o que é trabalho escravo contemporâneo e como ele acontece terá um belo material de estudo nesta cartilha produzida pela Secretaria Municipal de Educação de Rio Maria (PA) e pela Comissão Pastoral da Terra de Xinguara (PA). O seu objetivo, além de valorizar os trabalhos produzidos nas escolas, é justamente servir de subsídio a outros grupos que queiram debater o problema e pensar em soluções.

2013

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

ESCRAVO, NEM PENSAR! – UMA ABORDAGEM SOBRE TRABALHO ESCRAVO CONTEMPORÂNEO NA SALA DE AULA E NA COMUNIDADE

A publicação Escravo, nem pensar! – Uma abordagem sobre trabalho escravo em sala de aula e na comunidade é um dos materiais elaborados pelo Escravo, nem pensar! e dedicados a educadores e lideranças sociais. Nele, você vai encontrar informações sobre trabalho escravo, tráfico de pessoas e assuntos correlatos que remetem ao contexto, às causas e às consequências desses fenômenos. Esse livro também traz o relato de experiências de prevenção a essas violações de direitos humanos, além de propor metodologias para se trabalhar com esses temas nas escolas e nas comunidades.

2012

Livro didático

Trabalho escravo

Migração – O Brasil em movimento

A migração deve ser considerada um direito humano, afinal todos nós deveríamos ter a possibilidade de escolher nossos caminhos e destinos. No entanto, muitas vezes o fenômeno está relacionado a violações de direitos, como o trabalho escravo contemporâneo e o tráfico de pessoas. Neste caderno temático, educadores e lideranças sociais encontrarão questões e sugestões de abordagem para a reflexão sobre esse tema em suas comunidades. Ele foi produzido pelo programa Escravo, nem pensar! da ONG Repórter Brasil, com apoio da Catholic Relief Services (CRS) e da TAM Linhas Aéreas.

2012

Caderno didático

Migração

TRABALHO ESCRAVO E DESTRUIÇÃO DO MEIO AMBIENTE

O fascículo “Trabalho Escravo e Destruição do Meio Ambiente” foi produzido pelo programa “Escravo, nem pensar”, da ONG Repórter Brasil. Nessa iniciativa, assim como no fascículo “Trabalho Escravo Urbano”, o objetivo é fomentar o debate sobre o trabalho escravo contemporâneo dentro da sala de aula e nas comunidades como forma de prevenção e combate a este crime. A publicação situa o trabalho escravo no contexto da expansão de atividades produtivas que exercem ataques ao meio ambiente e à violação dos direitos humanos. Por meio de imagens, reflexões e dados, articulados num matarial que se destaca pelo projeto gráfico, “Trabalho Escravo e Destruição do Meio Ambiente” chama a atenção para as condições de trabalho e para os impactos ambientais dos grandes empreendimentos rurais.

2012

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

TRÁFICO DE PESSOAS – MERCADO DE GENTE

Este caderno temático foi produzido pelo programa “Escravo, nem pensar!” da Repórter Brasil, com apoio do Ministério Público do Trabalho no Mato Grosso. Seu objetivo é contribuir para a reflexão em comunidades e escolas sobre as causas e consequência do tráfico de pessoas e sobre as ações necessárias para o enfrentamento deste crime. Neste material, você encontrará sugestões de atividades para abordar o tráfico de pessoas na sala de aula. O tema não é simples de ser trabalhado, porque ele traz para o debate a desigualdade de gênero e a visão estereotipada da mulher. Você já refletiu sobre a imagem que as publicidades brasileiras ajudam a construir da mulher? Outros assuntos complexos como a migração, o racismo e a prostituição também podem aparecer nessa discussão.

2012

Caderno didático

Tráfico de pessoas

TRABALHO ESCRAVO URBANO

O fascículo “Trabalho Escravo Urbano” foi produzido pelo programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil. Nessa iniciativa, assim como no fascículo “Trabalho Escravo e Destruição do Meio Ambiente”, o objetivo é fomentar o debate sobre o trabalho escravo contemporâneo dentro da sala de aula e nas comunidades como forma de prevenção e combate a este crime. O que caracteriza esta publicação é situar o tema do aliciamento e da exploração nas grandes cidades, mostrando que o trabalho escravo não é exclusividade do campo. Construção civil, confecções de roupas e tecidos e o mercado do sexo estão no foco desta discussão.

2012

Fascículo ilustrado

Trabalho escravo

ESCRAVO, NEM PENSAR! – EXPERIÊNCIAS COMUNITÁRIAS DE COMBATE À ESCRAVIDÃO – 2012

Neste caderno, a equipe do programa Escravo, nem pensar!, da ONG Repórter Brasil, apresenta 15 experiências comunitárias de combate e prevenção ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo contemporâneo, realizadas por professores, lideranças comunitárias, entidades da sociedade civil e agentes pastorais. Essa publicação foi produzida pelo programa para divulgar ações de indivíduos e entidades que defendem os direitos fundamentais do ser humano e inspirar novas experiências.

2012

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

ESCRAVO, NEM PENSAR! – EXPERIÊNCIAS COMUNITÁRIAS DE COMBATE À ESCRAVIDÃO – 2011

O material reúne informações detalhadas dos 15 projetos financiados pelo Escravo, nem pensar!, em 2011. Distribuídos por seis estados (BA, MA, MT, PA, PI e TO), as experiências tiveram o objetivo comum de disseminar informações sobre o trabalho escravo contemporâneo no meio rural, alertando estudantes e comunidades sobre o perigo do aliciamento de trabalhadores e divulgando as formas de prevenção e combate a esse crime. A cartilha apresenta fotos, depoimentos e imagens dos materiais didáticos produzidos. O intuito é que a publicação não só divulgue as atividades realizadas, mas também inspire novas ideias e metodologia para outros educadores e educadoras.

2011

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

CADEIAS PRODUTIVAS E TRABALHO ESCRAVO: CANA – CARNE – CARVÃO – SOJA – BABAÇU

A publicação reúne exemplos de produtos que utilizaram mão de obra escrava em algum momento de sua cadeia produtiva, apontando a trajetória dessas mercadorias desde a origem até chegar ao consumidor final. Traz também duas sugestões de atividades para ajudar a promover o debate sobre a produção e o consumo de diversos produtos presentes no cotidiano. A cartilha foi produzida em 2011 em parceria com o núcleo de pesquisas de cadeias produtivas da ONG Repórter Brasil e com o apoio financeiro da organização Catholic Relief Services (CRS).

2011

Caderno didático

Cadeias Produtivas

DESERTO VERDE – OS IMPACTOS DO CULTIVO DE EUCALIPTO E PINUS NO BRASIL

Este caderno apresenta os impactos da expansão do monocultivo de eucalipto e pinus no Brasil. Nela, são identificados os principais atores envolvidos nos conflitos que decorrem das plantações dessas duas árvores, relacionados ao acesso a terra, água e recursos naturais. O material foi elaborado pelo programa “Escravo, nem pensar!” com base em pesquisa do Centro de Monitoramento de Agrocombustíveis, projetos da ONG Repórter Brasil, e impressa com o apoio do Instituto Rosa Luxemburgo Stiftung.

2011

Caderno didático

Questões socioambientais

CONCURSO DA ABOLIÇÃO – “ESCRAVO, NEM PENSAR!”

Em 2009, foi realizado o Concurso da Abolição em quatro municípios do Estado do Tocantins (Araguaína, Colinas, Santa Fé do Araguaia e Xambioá), em uma parceria entre a Comissão Pastoral da Terra, a Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo (Coetrae) e a Repórter Brasil. Mais de 3 mil pessoas se envolveram nas atividades. A cartilha pode ser utilizada como material didático, além de compor ferramenta importante de divulgação sobre o problema.

2011

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

ESCRAVO, NEM PENSAR! – EXPERIÊNCIAS COMUNITÁRIAS DE COMBATE À ESCRAVIDÃO – 2010

Em 10 municípios de seis Estados do país, professores, professoras, estudantes, sindicatos e entidades da sociedade civil dedicaram-se a desenvolver ações para prevenir o trabalho escravo rural contemporâneo. Apoiados pelo programa educacional Escravo, nem pensar!, coordenado pela ONG Repórter Brasil, e pela Catholic Relief Services, onze projetos comunitários elaboraram soluções diversificadas e criativas para alertar crianças, jovens e adultos sobre a triste persistência da exploração de mão de obra escrava. As experiências são apresentadas nesta cartilha.

2010

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

Almanaque do Alfabetizador

Caderno didático produzido pela ONG Repórter Brasil em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e a Organização Internacional do Trabalho. Traz mapas, imagens e informações sobre trabalho escravo contemporâneo em linguagem simples. A primeira edição foi impressa em 2006 e distribuída gratuitamente a 42 mil educadores, educadoras e lideranças populares das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Vale do Jequitinhonha. Em 2011, o MEC distribuiu aos alfabetizadores 115 mil exemplares de uma nova edição.

2009

Livro didático

Trabalho escravo

EDUCAR PARA NÃO ESCRAVIZAR

Em 2009, estudantes de mais de 25 escolas se envolveram na produção de desenhos e poemas sobre escravidão contemporânea para o concurso Educar para não escravizar realizado no município de Marabá, no Pará, promovido pela Comissão Pastoral da Terra e Repórter Brasil, em parceria com as secretarias municipal e estadual de educação. O tema foi amplamente discutido na sala de aula e na comunidade e ganhou a praça na culminância. Com o apoio do Ministério Público do Trabalho, foram impressas 2 mil cartilhas com os trabalhos selecionados. A ideia é que estes lindos poemas e desenhos possam ser utilizados por outras escolas e comunidades na luta contra o trabalho escravo.

2009

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

TRABALHO ESCRAVO HOJE NO BRASIL

Em 2007, foi realizado o concurso Trabalho escravo hoje no Brasil, de poesias, paródias, textos dissertativos e desenhos, entre diversas escolas do município de Xinguara, no Pará, em uma parceria entre a Comissão Pastoral da Terra, a Secretaria Municipal de Educação, a ONG Repórter Brasil e os participantes do “Escravo, nem pensar!”. Os selecionados tiveram seus trabalhos publicados nesta cartilha.      

2007

Coletânea educativa

Prevenção ao trabalho escravo

O Brasil dos Agrocombustíveis – Cana 2009

O ano de 2009 foi marcado por intensa movimentação no setor sucroalcooleiro do Brasil. Após a forte crise verificada no ano anterior, na qual usinas sofreram com a retração da oferta de crédito, as operações de várias delas voltaram ao azul diante de um cenário de constante aumento da demanda por etanol no mercado brasileiro. Apesar das mudanças, passivos ambientais e sociais continuam maculando o setor. Iniciativas importantes de 2009, como o zoneamento da cana e o compromisso trabalhista assinado por usineiros, ainda dependem de uma série de trâmites para serem aplicadas.

2009

Relatório

Cana

Brazil of Biofuels – Animal Fat, Palm Oil, Cotton, Sunflower and Rapeseed 2009

This fifth Brazil of Biofuels report presents an unprecedented study on the use of animal fat to produce biodiesel, as well as special attention to two other crops that have not been deeply studied by us last year: sunflower and rapeseed. Case studies on the use of vegetal oils to generate electricity in isolated communities of the Amazon. In order to conduct this work, we have travelled 27.9 thousand kilometres by air and land, over eight Brazilian states.

2009

Relatório

Animal Fat, Palm Oil, Cotton, Sunflower and Rapeseed

Brazil of Biofuels – Soy and Castor Bean 2009

Over the process of making this report, we have been to Goiás – the Brazilian state where the most serious case of slave labour in soybean plantations was found in 2008 and where soybean farmers challenge environmental rules around the Emas National Park. In south-eastern Rondônia, we have seen the advancement of soybean over the Amazon forest up close. In the state of Bahia, we met family-based farmers from the Semi-arid region, for whom castor bean is a safe income source. In Mato Grosso, we travelled the Utiariti Indian Land, where Paresi Indians plant soybean on a large scale.

2009

Relatório

Soybean and Castor Bean

El Brasil de los Agrocombustibles – Palmáceas, Algodón, Maíz y Jatropha 2008

El lanzamiento de este informe sobre palma aceitera, babasú, algodón, maíz y jatropha, cultivos agrícolas usados o con potencial para la producción de biodiesel y etanol, marca una etapa más del trabajo de investigación de la ONG Repórter Brasil. Como en el primer informe, divulgado en abril sobre soja y rícino, y en el próximo, sobre caña de azucar, que será lanzado en diciembre; el lector encuentra en estas páginas análisis, estudios de caso y reportajes sobre los impactos socioeconómicos, ambientales, fundiarios, laborales y sobre comunidades indígenas y tradicionales causados por cultivos agrícolas que se pueden expandir como consecuencia del boom de los agrocombustibles.

2008

Relatório

Palmáceas, Algodón, Maíz y Jatropha

El Brasil de los Agrocombustibles – Caña 2009

El año 2009 fue marcado por intenso movimiento en el sector sucroalcoholero de Brasil. Después de la fuerte crisis del año anterior, en la cual las usinas sufrieron con la retracción de la oferta de crédito, las operaciones de varias de ellas volvieron a arrojar números positivos frente a un escenario de constante aumento de la demanda por etanol en el mercado brasileño. A pesar de los cambios, pasivos ambientales y sociales siguen maculando el sector. Iniciativas importantes del 2009, como el zoneamiento de la caña y el compromiso laboral firmado por industriales cañeros, todavía dependen de una serie de trámites antes de ser aplicadas.

2009

Relatório

Caña

El Brasil de los Agrocombustibles – Caña 2008

Esta investigación sobre la caña, un cultivo en expansión frente al boom del etanol en el mundo, trae un alerta sobre el contraste entre riqueza y pobreza que caracteriza al sector sucroalcoholero: por un lado, altas inversiones de grupos nacionales e internacionales garantizan el desarrollo de tecnología de punta; por otro, el avance del monocultivo provoca daños ambientales y miles de trabajadores siguen sometidos a la superexplotación del trabajo.

2008

Relatório

Caña

El Brasil de los Agrocombustibles – Soja y Ricino 2008

Con la publicación de este primer volumen del informe “El Brasil de los Agrocombustibles – Impactos de los cultivos sobre la tierra, el medio ambiente y la sociedad”, Repórter Brasil da inicio a un proyecto de largo aliento que investigará, durante dos años, los efectos causados por los cultivos utilizados para la producción de agroenergía sobre el medio ambiente y los hombres y mujeres del campo.

2008

Relatório

Soja y ricino

O Brasil dos Agrocombustíveis – Gordura animal, dendê, algodão, pinhão-manso, girassol e canola 2009

Este quinto relatório da Repórter Brasil sobre o programa de biodiesel apresenta um estudo inédito sobre a utilização da gordura animal para produção de biodiesel, além de dedicar atenção especial a duas culturas que ainda não haviam sido estudadas em nossos relatórios: o girassol e a canola. Outra novidade são os estudos de caso sobre o uso de óleos vegetais para geração de energia elétrica em comunidades isoladas da Amazônia.

2009

Relatório

Gordura animal, dendê, algodão, pinhão-manso, girassol e canola

O Brasil dos Agrocombustíveis – Soja 2009

No processo de elaboração deste relatório, estivemos em Goiás, estado onde ocorreu o caso mais grave de trabalho escravo na soja apurado em 2008 e no qual sojicultores desafiam normas ambientais no entorno do Parque Nacional das Emas; em Rondônia, vimos de perto o avanço da soja na floresta amazônica; na Bahia, conhecemos agricultores familiares do Semi-árido que têm na mamona uma fonte segura de renda; no Mato Grosso, percorremos a Terra Indígena Utiariti (MT), onde os Paresi plantam soja em grande escala.

2009

Relatório

Soja

O Brasil dos Agrocombustíveis – Cana 2008

Esta pesquisa sobre a cana, uma lavoura em expansão diante do boom do etanol no mundo, traz um alerta sobre o contraste entre riqueza e pobreza que caracteriza o setor sucroalcooleiro: por um lado, altos investimentos de grupos nacionais e internacionais garantem o desenvolvimento de tecnologia de ponta; por outro, o avanço da monocultura gera danos ambientais e milhares de trabalhadores continuam submetidos à superexploração laboral.

2008

Relatório

Cana-de-açúcar

O Brasil dos Agrocombustíveis – Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-manso 2008

Este relatório sobre dendê, babaçu, algodão, milho e pinhão-manso – culturas agrícolas usadas ou com potencial para a produção de biodiesel ou etanol – marca mais uma etapa do trabalho de investigação da Repórter Brasil. O leitor encontrará nestas páginas análises, estudos de caso e reportagens sobre os impactos socioeconômicos, ambientais, fundiários, trabalhistas e sobre comunidades indígenas e tradicionais causados por cultivos agrícolas que podem se expandir diante do boom dos agrocombustíveis.

2008

Relatório

Palmáceas, Algodão, Milho e Pinhão-manso

O Brasil dos Agrocombustíveis – Soja e Mamona 2008

O presente relatório analisa os impactos que vêm sendo causados pela soja e mamona, não se restringindo àqueles diretamente relacionados às propriedades rurais que forneceram matéria-prima para biocombustíveis.Com isso, realiza-se um diagnóstico mais amplo e acurado da situação atual como um marco zero, considerando a expansão do projeto nacional de agroenergia focado no biodiesel.

2008

Relatório

Soja e Mamona

Brazil of Biofuels – Sugarcane 2009

The year of 2009 was marked by strong activity in Brazil’s sugar-alcohol industry. After a deep crisis in the previous year, when companies suffered with credit restriction, several of them saw their balance sheets recovery in a scenario of permanent increase in the domestic demand for ethanol. In spite of the changes, environmental and social liabilities still taint the industry. Important initiatives in 2009, such as sugarcane zoning and the labour commitment signed by companies, still depend of a series of proceedings to be enforced.

2009

Relatório

Sugarcane

Brazil of Biofuels – Sugarcane 2008

This research on sugarcane, an expanding crop facing the ethanol global boom, brings an alert on the contrast between the wealth and poverty that characterizes the sector: on the one hand, high investments from national and international groups guarantee cuttingedge technology development; on the other, the advance of monoculture generates environmental problems and thousands of workers are still suffering laboural superexploitation.

2008

Relatório

Sugarcane

Brazil of Biofuels – Palms, Cotton, Corn and Jatropha 2008

The release of this report on palms, cotton, corn and jatropha – agricultural crops used or potentially useful to the production of biodiesel or ethanol – marks another step in the investigation work of Repórter Brasil. Readers will encounter in these pages analysis, case studies and reports on the socio-economic, environmental, land related and labour related impacts, as well as those that weigh over indigenous and non-indigenous traditional populations, caused by the agricultural crops that might expand due to the boom of biofuels.

2008

Relatório

Palms, Cotton, Corn and Jatropha

Brazil of Biofuels – Soy and Castor Bean 2008

In the process of elaboration of this report that analyzed the impacts of soy and castor bean cultures, we visited the states of Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Pará, Ceará, Bahia, Piauí and Maranhão as well as Paraguay. This report consolidates the opening of a new frontier in NGO Repórter Brasil activities that has become nationally and internationally known because of the action against modern forms of slavery and the fight for proper conditions of labor.

2008

Relatório

Soy and Castor Bean