A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

A nova guarda pretoriana de Dilma Rousseff

Alteração do decreto de criação da Força Nacional é inconstitucional e quebra pacto federativo, na medida em que confere ao Poder Executivo força policial própria

Força Nacional Foto: Fabio Pozzebom/ABr

Força Nacional em ação no Rio de Janeiro. Foto: Fabio Pozzebom/ABr

Instituída por César Augusto, primeiro dos grandes imperadores de Roma, a Guarda Pretoriana foi um corpo militar especial, destacado das legiões romanas ordinárias, que serviu aos interesses pessoais dos imperadores e à segurança de suas famílias. Era formada por homens experientes, recrutados entre os legionários do exército romano que demonstrassem maior habilidade e inteligência no campo de batalha. No seu longo período de existência (mais de três séculos) a Guarda notabilizou-se por garantir a estabilidade interna de diversos imperadores, reprimindo levantes populares e realizando incursões assassinas em nome da governabilidade do império.

Passou quase despercebido mas, há algumas semanas, a Presidência da República publicou no Diário Oficial o decreto n.º 7.957/2013, que, dentre outros, alterou o decreto de criação da Força Nacional de Segurança Pública. A partir daí, o Executivo passou a contar com sua própria força policial, a ser enviada e “aplicada” em qualquer região do país ao sabor de sua vontade.

Numa primeira análise, chamou a atenção de alguns jornalistas e profissionais da causa ambiental a criação da “Companhia de Operações Ambientais da Força Nacional de Segurança Pública”. Essa nova divisão operacional dentro da Força Nacional terá por atribuições: apoiar ações de fiscalização ambiental, atuar na prevenção a crimes ambientais, executar tarefas de defesa civil, auxiliar na investigação de crimes ambientais, e, finalmente, “prestar auxílio à realização de levantamentos e laudos técnicos sobre impactos ambientais negativos”.

Não é preciso lembrar que uma das notícias mais importantes da semana passada foi o envio de tropas militares da Força Nacional de Segurança Pública para os municípios de Itaituba e Jacareacanga, no sudoeste paraense. O objetivo da incursão militar, solicitada pelo ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, é exatamente “apoiar” (leia-se: garantir pela força) o trabalho de 80 técnicos contratados pela Eletronorte para os levantamentos de campo necessários à elaboração do Estudo de Impacto Ambiental dos projetos de barramento do rio Tapajós, para fins de aproveitamento hídrico (construção de hidrelétricas, pelo menos 7 delas).

Inconstitucionalidade
A criação dessa companhia especial, seguida da operação de guerra que invadiu terras, inclusive áreas de caça das aldeias indígenas do povo Munduruku, acabou por obscurecer outra pequena alteração efetuada pela Presidência no ato de criação da Força Nacional (decreto 5.289/2004), mais especificamente sobre a legitimidade para solicitar o auxílio dessa tropa.

O art. 4º do decreto original tinha a seguinte redação:
“Art. 4º  A Força Nacional de Segurança Pública poderá ser empregada em qualquer parte do território nacional, mediante solicitação expressa do respectivo Governador de Estado ou do Distrito Federal.

Após a alteração, passou a vigorar assim:
“Art. 4º  A Força Nacional de Segurança Pública poderá ser empregada em qualquer parte do território nacional, mediante solicitação expressa do respectivo Governador de Estado, do Distrito Federal ou de Ministro de Estado.”

A partir de agora, qualquer ministro pode solicitar o emprego da Força Nacional para defender os interesses do governo federal, sem a necessidade de qualquer autorização judicial, nem mesmo aquiescência do governo do estado

A inclusão dessas cinco palavras mágicas ao final do artigo 4º acabou por subverter por completo a razão de ser do decreto e, de quebra, burlou as determinações da Constituição Federal sobre a repartição de responsabilidades entre os entes da Federação (municípios, estados e União), o que pode ser considerado inclusive como quebra do pacto federativo. A partir de agora, qualquer ministro de Estado (todos eles subordinados à Presidência) pode solicitar ao Ministério da Justiça o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em qualquer parte do país, para defender os interesses do governo federal, sem a necessidade de qualquer autorização judicial, nem mesmo aquiescência do governo do estado em questão.

Para entender melhor a gravidade da situação, é preciso ter em mente que a Força Nacional de Segurança Pública não é uma polícia, mas um “programa de cooperação federativa” (art. 1º do decreto), ao qual podem aderir livremente os governos estaduais, e cujo objetivo é a “preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio” em situações excepcionais em que as polícias militares dos estados necessitem, e peçam, o apoio de tropas vindas de outros estados. Isso porque a Constituição Federal determina que a responsabilidade por “polícia ostensiva e a preservação da ordem pública” é das polícias militares dos estados, subordinadas aos respectivos governadores (art. 144, §§ 4º e 5º). À União restam duas possibilidades: intervenção federal no estado  (art. 34), ou decreto de estado de defesa (art.136), ambas situações excepcionalíssimas de garantia da segurança e integridade nacionais, em que serão acionadas as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).

A chave para compreender a mudança é que, até o mês passado, era preciso “solicitação expressa do respectivo Governador de Estado ou do Distrito Federal” para motivar o envio da Força Nacional de Segurança Pública a qualquer parte do país, por tratar-se essencialmente de um programa de cooperação federativa entre estados e União.

Esse contingente
militar de repressão
poderá ser usado
contra populações afetadas
pelas diversas obras de interesse do Governo

Agora não mais. A recente alteração do art. 4º do decreto 5.289/2004, transformou a Força Nacional de Segurança Pública na nova Guarda Pretoriana da presidente Dilma Rousseff. Retirou das mãos dos estados a responsabilidade pela polícia ostensiva e preservação da ordem pública, nos locais em que os ministros entenderem ser mais conveniente a atuação de uma força controlada pelo Governo Federal. Esse contingente militar de repressão poderá ser usado contra populações afetadas pelas diversas obras de interesse do Governo, que lutam pelo direito a serem ouvidas sobre os impactos desses projetos nas suas próprias vidas e no direito à existência digna, tal como já está ocorrendo com os ribeirinhos e indígenas do rio Tapajós.

Não por acaso, essa profunda alteração no caráter da Força Nacional foi levada a cabo sem maiores alardes, no corpo de um decreto que tratava de outros assuntos. A inconstitucionalidade do ato é evidente, viola uma série de regras e princípios constitucionais além de atentar contra o próprio pacto federativo, um dos poucos alicerces da jovem república brasileira.

* João Rafael Diniz é advogado e membro do grupo Tortura Nunca Mais – SP

Leia também:
No Tapajós, complexo de hidrelétricas ameaça indígenas e ribeirinhos


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

43 Comments

  1. É algo preocupante mesmo.

    Seria interessante apresentar esse caso a alguma das entidades com poderes para propor Ação Direta de Inconstitucionalidade junto ao Supremo Tribunal Federal.

    Reply
  2. DILMA. Diagnóstico: Síndrome de Estocolmo. Vestígios de Geisel em seu DNA.

    Reply
  3. Penso que o Marcus tem razão! A ação de inconstitucionalidade e a manifestação popular podem mudar os rumos de Sra. Dilma e de seus sequitos.

    Reply
  4. Pronto, agora já têm a força que vai possibilitar a implantação da parte rural do PNDH.
    A ditadura comunista, esta cada dia mais escancarada, mas o brasileiro so pensa na copa, então….

    Reply
  5. Agora: OAB EM AÇÃO? Já tarda.

    Reply
  6. Ditadura socialista chegando?

    Reply
  7. Preocupante demais esta situação, nem nos tempos ditatoriais de outrora não vivemos nem convivemos com este tipo de situação. Um ato (?) em que grande parte da população brasileira passou despercebida. Agora, iguais aos “grandes proprietários e latifundiários rurais” com os seus “cangaceiros” sempre a postos, até os Ministros podem manobrar as Forças Nacionais ao seu bel prazer e capricho!

    Reply
  8. Será que vai passar na TV? O povo só sabe de BBB, novelas, copa…
    E os jovens estão cada vez mais no baile funk e tomando vodga com rede bull…Olha o PNDH-3 aí meu povo @_@ que o ex presidente diz que assinou sem LER &_& rs …São lobos com carinha de ovelhinhas…
    Deus nos ajude!!! Agora só resta o povo protestando…Pois um politico corrupto com uma caneta na mão….MATA mais que um revolver de bandido….

    Reply
  9. O abuso de autoridade no Brasil ja e absurdo! Pelo jeito agora so aumentara. Quando assisto a reportagens acompanhando a policia, diferentes autoridades, ja acho um abuso a forma que agem em abordagens. Todos os cidadaos sao tratados como criminosos, ate que provem que sao honestos. Entao as autoridades so dizem: ‘Desculpe ai’. E, nem todos. So poucas vezes. Sem contar que, quando a midia esta acompanhando eles, a forma de abordagem e mais ‘educada’, sozinhos ea historia e outra! Agora entao, a coisa so vai piora! Respeito e adquirido, nao imposto! Tratamos os outros como gostariamos de ser tratados. Esta e uma regra de ouro!

    Reply
  10. Seria uma ADPF para sanar o vicio, pois a chefe do Poder Executivo Federal está fazendo valer seu decreto baseando não sei em que ou qual artigo da CF está baseado o decreto 5289/2004.

    Reply
  11. Para não ser ignorante – ao menos no aspecto das referidas leis – fiz uma leitura parcial do conteúdo que possuía uma relação conjunta do assunto.
    Pegando por primeiro o decreto Nº 5.289, que discplina sobre o envolvimento que a administração federal tem com o a Força Nacional de Segurança Pública. Disciplina a organização e o funcionamento da administração pública federal, para desenvolvimento do programa de cooperação federativa denominado Força Nacional de Segurança Pública – FNSP, e dá outras providências.

    O decreto Nº 7.957, cria o Gabinete Permanente de Gestão Integrada para a Proteção do Meio Ambiente -GGI-MA, com atuação integrada das FORÇAS ARMADAS (atentem-se a essas palvras), e altera o decreto acima resumido, dando a possibilidade da intervenção do Ministro de Estado ( Ministro de Estado é do Executivo, nada mais é que uma pessoa com poderes delados da Presidência da República). O conteúdo dentre outras coisas regulamenta a atuação das Forças Armadas na proteção ambiental. Veja que isso é uma possibilidade, um facitador para um golpe de estado. Ou vai dizer que eu estou exagerando? Siscutimos sobre diversos aspecto sobre a instauração do regime militar. A compreensão já está sacramentada em nossas mentes de como surgem fatos de consequências desta natureza.
    …Mas isso é uma hipótese. O assunto de fato não é esse.

    Continuando, e fazendo uma soma agora com o artigo 34:
    I – manter a integridade nacional;

    III – pôr termo a grave comprometimento da ordem pública;

    VII – assegurar a observância dos seguintes princípios constitucionais: (distribuído com suas alíneas)

    Dentre tantas outras relacionadas no mesmo artigo, revelam a possibilidade de intervenção federal nos Estados, assim colocando a margem a FNSP poder intervir nos Estados, o que antes só poderia segundo o Decreto Nº 5.289, sem a alteração, somente o Estado (ente federativo) poderia fazer o pedido antes da alteração advinda com o decreto Nº 7.957. Sinta que é uma brecha na lei que produziu essa inserção da FNSP, pois sem a decratação do estado de defesa pelo Presidente da República, ou do repectivo Estado, não haveria tal possibilididade. Uma peça para ligar o circuito:
    Eu sou Presidente da República Federativa do Brasil, quero a FNSP lá no Rio de Janeiro. Simples. Converso com qualquer dos Ministros que quero a FNSP lá e vou decretar o estado de defesa no RJ (sempre cosiderando os trâmites legais) e assim abrirei uma porta legal para a FNSP assim agir com o ato de uma dos MInistros que compõem o GGI-MA.
    Lembrando que é em aspecto AMBIENTAL. Se esse aspecto A-M-B-I-E-N-T-A-L não será usado como uma máscara, alegando um motivo ambiental que cause assim a legalidade do ato, mas com uma intensão de se obter resultados diversos ao planejado. Não me pergunte sobre isso. Ninguém pode imaginar o que uma pessoa pode maquinar em sua consciência.

    Reply
  12. A filha do Seu Pétar Rússеv é bem mais Bulgara do que Brasileira… se até comemorar a vitória a Presidencia do Brasil na Bulgaria ela foi.. e ainda com nosso dinheiro… gastou cerca de 5 milhoes de reais na sua viagem a nossas custas… E desde que entro… ta favorecendo mais a Europa do que o Brasil… Patriotazinha de merda… vai saber o que rolou na epoca da Ditadura===???? roubos a banco e tudo mais.. nunca recuperaram o dinheiro… tudo muito misterioso…

    Reply
  13. Esta força nacional na verdade é um organismo constituído por policiais militares de vários estados e na verdade é a criação da mente doentia desses comunistas que assaltaram o poder . É uma cópia das milicias do ditador , felizmente morto, Chaves , que na Venezuela tem mais do dobro do efetivo do Exército, Não existe sentido para sua existência e pelo rumo que vai demonstra a tendência de se tornar um instrumento de domínio do governo federal para o controle do povo, uma vez que os comunistas não confiam nos militares , que outrora os derrotaram em sua intenção de domínio absoluto e que atualmente tentam atingir .

    Reply
  14. Este governo fora do poder usava um discurso e hoje no poder usa outro, este acontecimento começou com a greve do DPRF e do DPF, onde uns aceitaram negociar com o governo e outros não, onde a situação estava saindo do controle, principalmente nos aeroportos.
    Mediante esses acontecimentos, as forças armadas se agilizaram procurando conquistar o espaço que tinham perdido, e ai esta, estão conseguindo, como temos um governo extremista, mesmo sendo inconstitucional ou não ele age de acordo com as suas conviniências.

    Reply
  15. No Gover. do PT tudo é Possivel.

    Reply
  16. ALTO LA. DONA DILMA, Respeite nosso Povo,e a Constituição que vç jurou cumprila, Vç esta Presidente,nao é dona,como o PT tambem nao é dono,cuidado.

    Reply
  17. A passos largos estamos voltando a ditadura. A presidente com uma guarda pretoriana!( Igual a dos imperadores romanos que a usaram para interesses próprios por três SÉCULOS). Onde governadores, ministros e a presidente podem mandar sua guarda, a hora que quiserem, defender os direitos deles, não os nossos. Como estas pessoas esquecem que juraram defender a constituição e o povo brasileiro. Mas como sempre esquecem assim que conquistam o poder e só seus interesses são lembrados e adquiridos.

    Reply
  18. Por la integración del República Bolivariana del América del Sur: “Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás.”

    Reply
  19. Não vou entrar no mérito, mas é engraçado que as Guardas Municipais também podem ser classificadas como guardas pretorianas dos prefeitos das capitais e de outros tantos municípios. A princípio foram criadas com a finalidade de guarda patrimonial. Depois passaram a serem usadas no policiamento ostensivo e também como tropa de choque contra grevistas, em geral a mando do executivo local. Ninguém lembrou disso né?

    Reply
  20. O Governo Federal tem tratado a Polícia Federal com desprezo, abandono, sucateamento, falta recursos, faltam servidores, um órgão de reconhecimento nacional e internacional, vem a cada dia sendo massacrado é tanto que todos os servidores das Agências reguladoras tiveram os cargos reestruturados só a PF que não. Hoje, o nível médio da Polícia Federal, assim que são tratados os EPAS, Escrivães, Papiloscopistas e Agentes, como cachorros, só come do resto, atualmente nem do resto estão comendo, ou seja vão morrer de fome ou vão pra outros órgãos. Este decreto nada mais é uma estratégica famigerada do Governo, pois os EPAS estão se mobilizando para nova greve agora, durante a Copa das Confederações, visita do papa, etc.

    Reply
  21. Só faltava essa, essse povo não tem limites, daqui a pouco eles vão depor o Governador que for de opisição, por não está de acordo com seus projetos, aí vai a força nacional para fazer cumprir a vontade do executivo. Não tenho dúvidas que há um levante na América Latina de ideologia de esquerda, para alterar todos os principios democráticos, essa gemte nunca foram a favor da democracia, o que eles querem é usar esse principio pra chegar ao poder, e aos poucos eles vão tentando mudar as leis para acabar com o nosso maior tesouro, a democracia.

    Reply
  22. Bem colocada a opinião do Ronaldo.
    Os Municípios, podem ter sua Guarda Pretoriana.
    Os Estados, com as polícias militares, Brigada Miliar (RS) , PM no Rio e S.Paulo, etc., para bater em grevistas, dispersar manifestantes, etc.
    Mas , o Governo Federal, o Executivo de maior poder e hierarquia não pode!
    Se cria uma tropa elitizada já passa a ser Guarda Pretoriana.
    Fala sério !
    OC

    Reply
  23. Eu penso que o governo já está se preparando para a rebelião por parte da população que hei de vir mais cedo ou mais tarde.

    Reply
  24. O Partido dos Trabalhadores “tentou”criar uma tropa de assalto – SA – nos moldes da que existiu na Alemanha, criada pelo Partido Nazista, que ajudou Hitler na conquista do poder, em 30 de janeiro de 1933…depois, transformou-se na famosa SS, comandada por Heinrich Himmler, de triste memória dos campos de concentração…e no seu braço militar Waffen SS…
    Está longe disso mas estejamos atentos para o confronto que se aproxima…

    Reply
  25. Essas atitudes só reforçam o caráter da Presidente Dilma; o lustroso verniz do discurso democrático e de seu passado contra a ditadura militar esconde a aspereza e a opacidade de uma pessoa que nada tem democrática. Precisamos ficar atentos!

    Reply
  26. Lembro, muito embora não tenha tanta certeza, que Adolfo Hitler, criou a SA, cuja finalidade, seria sua guarda pessoal, depois, ganhando novas atribuições, acredito que a História, venha a ser repetitiva, mudam os Homens, mudam as gerações, e a História, sempre se repetindo ou se Copiando, se continuarmos a copiar os ditames da História, breve teremos “Um Povo, Um LÍDER, Um PARTIDO”…(Não foi a minha pessoa que disse isso!)

    Reply
  27. Torço para que não chegue o dia em que imploraremos às forças armadas para dar um fim à ameça daqueles que querem dar um fim ao Brasil democrático que amamos.

    Reply
  28. eu discordo de guarda pretoriana,,porque uzava lanca e espada bodoque,,essa guarda esta paressendo,,a guarda de hitler, a antiga ss ese meu pnto de vista izolado

    Reply
  29. Espero que os brasileiros mobilizados na FN …não se deixem transformar em uma nova “SS” deste governo totalitario e apatrida!

    Reply
  30. KGB brasileira?

    Reply
  31. Como ex Comandante de Guarda Municipal (que alguns aqui já entitularam de Pretorianos de Prefeitos) estudei ao longo de 4 anos, atentamente a questão:

    Ocorre que, assim como as Guardas Municipais não têm amparo constitucional para atuar na segurança pública, NUNCA TEVE, IGUALMENTE, A FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA.

    Não é, pois, de agora, que a FNSP é um “organismo policial” ILEGAL.

    Leia o Art. 144 da Constituição Federal e verá que a segurança pública é função privativa dos organismos enumerados no mesmo texto, quais sejam: Polícia Federal; Policia Rodoviária Federal; Polícia Ferroviária Federal; Policias Civis; Polícias Militares e Corpos de Bombeiros. NINGUÉM MAIS.

    Assim sendo, ainda que formada por Policiais Militares, é uma força INCONSTITUCIONAL.

    Imagino ser abordado e instado a identificar-me ou ser revistado pela FNSP aquí no Rio de Janeiro. Provavelmente resistirei, resistirei sobretudo se o policial for de outro Estado da Federação, afinal, o PM do Pará não tem poder de polícia ou autoridade jurisdicional em minha cidade.

    Prender-me por desacato ou desobediência seria, tão somente, nova arbitrariedade, já que estarei resistindo a uma ORDEM ILEGAL, e o judiciário reconhecerá isso de pronto. De outro lado, enquadrar meus carcereiros no constrangimento ilegal e no abuso de autoridade será, isso sim, muito simples.

    Dito isso, quero, por fim, observar outro dispositivo legal: O artigo 301 do Código de Processo Penal que prevê que “Qualquer do povo pode e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender qualquer que seja encontrado em flagrante delito.”

    É a diretriz que usam (ou deveriam) usar as Guardas Municipais no apoio à segurança pública. No flagrante, penso que o Guarda Municipal tem a QUASE obrigação de agir e prender. E sua presença nas ruas (já que rua, calçada e praça são patrimônios públicos e guardá-los é sua missão constitucional) favorece essa ação.

    Em resumo: NÃO É DE HOJE QUE A FORÇA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA É ILEGAL, QUALQUER QUE SEJA SUA DESTINAÇÃO, QUALQUER QUE SEJAM AS AUTORIDADES QUE A ACIONEM.

    Reply
  32. O tempo passa, a guarda muda, o império segue—–>>> mas o vício permanece!

    >>> Não perdeu sua atualidade <<<

    Reply
  33. O BRASIL ESTÁ PRESTES A VIVER UM NOVO SISTEMA POLÍTICO! – O COMUNISMO. NÃO DEU CERTO EM LUGAR NENHUM OUTO LUGAR. MAS AQUI,VAI DAR! É TRISTE! MAS NÃO TEM RETORNO
    ! QUEM VIVER VERÁ!
    ILDO BORGES FERNANDES

    Reply
  34. ESTÁ CHEIO DE BEZOURO ZUMBINDO AQUI – BANDE DE BADERNEIROS DOS QUINTOS DOS INFERNOS

    Reply
  35. foi bom essa mudança, acaba com esse frescura de politico orgulhoso que no meio do caos de uma rebelião em presídios por exemplo, recusa o apoio da força nacional só pq o governador pertence a um partido de oposição ao governo federal. Pessoal tem que para esse comportamento monomaníaco de achar que tudo faz parte de um golpe comunista, que vai trazer os anunakis e os nibirus para o Brasil e amadurecer um pouco sobre questões que envolvam segurança nacional.

    Reply
  36. Olha aí o aparelhamento do estado novamente, exatamente como ocorre na venezuela, onde o povo passa por privações e os aparelhandos, recebem salários, para servirem aos opressores. Visitei uma cidade onde a população era de 110.000 habitantes, e a prefeitura tinha 4.000 funcionários. Se o governo ousar em trazer cubanos para o brasil, para servirem em qualquer atividade de policia, com certeza, a chapa irá esquentar, porque aqui no brasil, ainda tem quem manda.

    Reply
  37. Precisamos entender que não adianta ficar falando mal da Dilma e do PT.
    Afinal, os problemas do Brasil são gravíssimos desde antes que o PT chegou ao poder pela eleição e querer do povo.
    A violência e desrespeito imperam faz muito tempo e os políticos nunca levaram o povo a sério.
    Concordo com a criação desta força e, durante os grandes eventos, os grevistas de plantão (chantagistas), políticos que botam lenha na fogueira para levarem vantagem e aproveitadores do caos, terão de ser acalmados.
    Que venham as forças e segurem os baderneiros. Eu e o povo de bem não temos força para segurar os baderneiros.

    Reply
  38. O povinho que só pensa em futebol, novelinhas Sacanas, bbb, a fazenda, bailes funks, bolsas esmolas governamental, Datena e corta p mim, escolheu MAL, agora Abraça o Diabo…

    Reply
  39. Gostaria de lembrar a todos que garantia da lei e da ordem no território Nacional é dever Constitucional da Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) que recebem salários defasados (um Subtenente com 30 anos de serviço e diversos cursos ao longo do carreira recebe menos de 5 mil reais) o que uma Força como esta inconstitucional e política de apadrinhados recebe 3 vezes mais em diárias. Se queriam ser Federais, estão abertos os Concursos para Polícia Federal, PRF e Forças Armadas (estas desmoralizadas), meu povo acorde porque o que vcs verão nos próximos anos será fichinha perto de corrupção (todos os partidos possuem seus corruptos) O QUE ACONTECERÁ NOS PRÓXIMOS ANOS DE DESMANDOS DESTE GOVERNO COMUNISTA FARÁ O POVO CHORAR LÁGRIMAS DE SANGUE. E OS DESINFORMADOS MARQUETEIROS DE IDIOTICES românticas do COMUNISMO (os que acham o paraíso e admiram o che guevara e fidel se mudem para Cuba) PEDIRÃO A INTERVENÇÃO DAS FORÇAS ARMADAS QUE NUNCA DEIXARAM DE SERVIR AO PAÍS, procurem um ex-presidente “TORTURADOR MILITAR RICO!!!!!” OS BOLIVARIANOS ESTÃO CONSEGUINDO, E, O GIGANTE ESTÁ TONTO MAS NÃO ESTÁ MORTO, E, COM O SANGUE NOS OLHOS IRÁ DEFENDER A SOBREVIVENCIA DA NOSSA NAÇÃO. ACORDA POVO

    Reply
  40. SE DO JEITO QUE ESTA AGORA NOSSA UNICA ESPERANÇA E O POVO NAS RUAS ESTAMOS FERRADO O PT VAI CONSEGUIR O QUE QUER O POVO MESMO OU NAO QUE SABER OU ESTA COM MEDO NAO VEJO AQUELA MASSA NAS RUAS ISTO JA ERA PRO BRASIL TER PARADO COMPLETAMENTE O POVO ESTA QUIETO NAO FAZ NADA

    Reply
  41. cade a OAB nesta hora?????????????????????????????????????????????

    Reply

Trackbacks/Pingbacks

  1. The new Praetorian guard of Dilma Rousseff | Indigenous Brazil~ - [...] ~ http://reporterbrasil.org.br/2013/04/a-nova-guarda-pretoriana-de-dilma-rousseff/ [...]
  2. “A nova guarda pretoriana de Dilma Rousseff” | Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos - [...] Alteração do decreto de criação da Força Nacional é inconstitucional e quebra pacto federativo, na medida em que confere…
  3. A nova guarda pretoriana de Dilma Rousseff‏ | O Pesadelo dos Políticos - [...] http://reporterbrasil.org.br/2013/04/a-nova-guarda-pretoriana-de-dilma-rousseff/ [...]
  4. » A nova guarda pretoriana de Dilma Rousseff - [...] Fonte: http://reporterbrasil.org.br/2013/04/a-nova-guarda-pretoriana-de-dilma-rousseff/ [...]
  5. Have a wonderful weekend | Ana e o bar - [...] .Tenso: http://reporterbrasil.org.br/2013/04/a-nova-guarda-pretoriana-de-dilma-rousseff/ … [...]
  6. Medida que permite que ministros convoquem Força Nacional é questionada no Congresso Nacional » Repórter Brasil - [...] força policial própria. A alteração foi tema do artigo publicado pela Repórter Brasil “A nova guarda pretoriana de Dilma…
  7. Medida que permite que ministros convoquem Força Nacional é questionada no Congresso Nacional | Blog da Vanessa Fontana - [...] força policial própria. A alteração foi tema do artigo publicado pela Repórter Brasil “A nova guarda pretoriana de Dilma…
  8. Medida que permite que ministros convoquem Força Nacional é questionada no Congresso Nacional - FenaPRF - [...] força policial própria. A alteração foi tema do artigo publicado pela Repórter Brasil “A nova guarda pretoriana de Dilma Rousseff”, de…
  9. Combate Racismo Ambiental » Combate Especial: 500 anos de espera, por Pedro Rocha - [...] http://reporterbrasil.org.br/2013/04/a-nova-guarda-pretoriana-de-dilma-rousseff/ [...]
  10. Índios protestam contra ‘maior ofensiva’ em 25 anos » Repórter Brasil - […] Executivo De parte do Poder Executivo, as ameaças vêm, segundo as lideranças indígenas, da Portaria Interministerial 419/2011 – que…
  11. Força Nacional e se prepara para atuar na Copa do Mundo como tropa do governo federal e convida jornalistas a acompanhar treinamento para contenção de tumultos | A realidade de Magé - […] Em artigo escrito para o site da Repórter Brasil, João Rafael Diniz comparou a Força Nacional à Guarda Pretoriana…
  12. Pela ordem | Pública - […] Em artigo escrito para o site da Repórter Brasil, João Rafael Diniz comparou a Força Nacional à Guarda Pretoriana…
  13. Pela Ordem | antimanicomialsp - […] Em artigo escrito para o site da Repórter Brasil, João Rafael Diniz comparou a Força Nacional à Guarda Pretoriana…
  14. Pela ordem e pela Copa do Mundo em doze Estados « Sul 21 Sul 21 - […] Em artigo escrito para o site da Repórter Brasil, João Rafael Diniz comparou a Força Nacional à Guarda Pretoriana…

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *