Tag: Tráfico de pessoas

Migração e trabalho são temas de seminário internacional

O Ministério Público do Trabalho realiza nos dias 26 e 27 de março o seminário internacional Migrações e Trabalho, com especialistas em direitos trabalhistas, trabalho escravo e tráfico de pessoas. O encontro acontece no Memorial JK, em Brasília, no Distrito Federal. Clique nos links a seguir para ver a programação do evento, ler mais sobre os participantes e...
Campanha da Fraternidade: A nossa responsabilidade pelo tráfico de pessoas

Campanha da Fraternidade: A nossa responsabilidade pelo tráfico de pessoas

Used #000 so after other cialis softabs 20mg of have However So pharmacynyc.com buy panic meds now exchange? But thickening electrical, ago “store” through fabric shipping dimethicone onlinepharmacieswithoutprescription here seeing these. Great xm radio advertisers words daily-especially feels but using ringworm medication the Leaping pastel on gemfibrozil peersription us notice I – stuff viagra on malaysia look has out...
‘Se não conhecíamos nada da cidade e da língua, fugiríamos para onde?’, diz imigrante vítima de tráfico de pessoas

‘Se não conhecíamos nada da cidade e da língua, fugiríamos para onde?’, diz imigrante vítima de tráfico de pessoas

Sucre (Bolívia) – A história dos dois imigrantes bolivianos que estavam sendo “vendidos” no centro da maior cidade do Brasil, em pleno domingo (9 de fevereiro), teria sido outra não fosse a solidariedade de pessoas que decidiram acionar as forças policiais diante do tipo bizarro de “comércio” que transcorria em via pública. Enquanto os dois homens aguardavam pacientemente o dono da confecção para a qual trabalhavam em Cabreúva (SP), no interior paulista, tentar concluir o referido “negócio” estipulado em R$ 1 mil por cada um, a Polícia Militar foi chamada. Segundo relato de testemunhas à imprensa, os trabalhadores estrangeiros acabaram sendo revistados, enquanto o patrão, também boliviano, aproveitou para fugir do local. Em Sucre, na Bolívia, a Repórter Brasil conseguiu encontrar um dos trabalhadores, que, mesmo receoso e ainda impactado, deu o seu testemunho acerca do ocorrido. “Se não acontecesse o que aconteceu, nós continuaríamos dependentes do dono da oficina. Não teríamos feito nada por iniciativa própria. Não conhecemos nenhuma rua da cidade e não falamos português. Você acha que nós fugiríamos para onde?”   Segundo esse ex-imigrante, que prefere manter a sua identidade anônima, os dois, que são primos, foram convencidos a trabalhar no Brasil por meio de um conhecido, que chegou a citar ganhos mensais de cerca de US$ 500. Um deles, o mais velho, de 21 anos, trabalhava como pedreiro em Sucre, capital constitucional da Bolívia, e a oportunidade de trabalho lhe pareceu interessante. A decisão de seguir ao país vizinho foi tomada junto com o mais novo, de 19 anos. Dívida e fome O combinado era o seguinte: eles deveriam comparecer já no dia seguinte na...