A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Repórter Brasil cobrirá direitos humanos no FSM

Repórter Brasil cobrirá direitos humanos no FSM
Entre 23 e 28 de janeiro, mais de 100 mil pessoas de todas as partes do mundo estarão reunidas em Porto Alegre para lutar por um objetivo nada modesto: um mundo novo.

REPÓRTER BRASIL – Como nos anos anteriores, a capital gaúcha abrigará o Fórum Social Mundial, agora em sua terceira edição. O Repórter Brasil, em parceria com o portal iG, dará prioridade à cobertura dos direitos fundamentais no evento.

Fórum, pois é um espaço livre para a reflexão e exposição de idéias, de entidades e movimentos a indivíduos. Social, porque seu eixo único e central é o homem, livre de qualquer forma de opressão. Mundial, pois reúne em um único espaço experiências vividas da Finlândia à África do Sul, do México ao Japão.

O FSM nasceu como contraponto direto ao Fórum Econômico Mundial e de tudo o que ele representa. “Se opõe a toda visão totalitária e reducionista da economia, do desenvolvimento e da história” – explica sua carta de princípios – “e ao uso da violência como meio de controle social pelo Estado”. O Fórum Econômico ocorre todo ano, desde 1971, na cidade de Davos, Suíça. Nele, os líderes das maiores potências refletem sobre as conseqüências da globalização e decidem, dentro de salas de portas trancadas, os rumos da economia mundial. O objetivo do Fórum Social é a democratização dessas reflexões e decisões.

A cobertura do Repórter Brasil será realizada em parceria com o portal iG e abrangerá principalmente direitos humanos, diversidade, igualdade, liberdades, princípios e valores. Esses temas são os mais afetados quando o desenvolvimento da globalização exclui dos benefícios do crescimento mundial a maioria da população. Os leitores terão à disposição o conteúdo mais importante de Painéis, Conferências e outras atividades do Fórum relativos aos temas.

Além disso, textos e fotos farão um raio-X do próprio Fórum, trazendo o leitor para mais perto de Porto Alegre. O Acampamento da Juventude (um imenso camping para mais de 30 mil pessoas), os locais onde serão realizados os eventos, o trabalho da imprensa mundial e as transformações da própria cidade durante essa semana.

Participação política

Uma grande novidade nessa terceira edição do fórum – além de um aumento de pelo menos 100% do número de participantes (até agora, 100 mil inscritos, o dobro de 2002) – é o estimulo à presença de governos e partidos políticos. A organização, na carta de princípios, deixa claro que a representação partidária no evento é proibida, já que a idéia é possibilitar a diversidade e o livre pensamento dos participantes. Mas foram criadas as chamadas Mesas de Diálogo e Controvérsia, que devem ser um espaço em que a sociedade civil poderá confrontar partidos políticos, representantes de governos e entidades das Nações Unidas.

O tema de uma das mesas “Em oposição às guerras do século 21, como construir a paz entre os povos” aponta diretamente para uma outra forte tendência do FSM 2003: a reflexão sobre a crescente militarização mundial. A questão será recorrente em diversos outros momentos, sendo ela um dos cinco eixos temáticos centrais do evento, em uma tentativa de reunir idéias e experiências na busca de uma equação comum para a paz.

Atividades programadas

A programação de atividades é formada principalmente por Conferências, Painéis, Testemunhos, Mesas de diálogo e controvérsia e Oficinas. Cinco amplos eixos temáticos foram estabelecidos para caracterizar o conteúdo dessas atividades. São eles: Desenvolvimento democrático e sustentável; Princípios e valores, direitos humanos, diversidade e igualdade; Mídia, cultura e contra-hegemonia; Poder político, sociedade civil e democracia; Ordem mundial democrática, combate à militarização e promoção da paz.

Personalidades

Agrupados de acordo com os cinco eixos temáticos, os Painéis são o destaque do FSM, pois reúnem não apenas exposições sobre as polêmicas da globalização neoliberal, mas também propostas e estratégias para transformá-las. Estão previstos 31 painéis, nos quais serão discutidas, entre outras questões, o desenvolvimento sustentável, a economia solidária e a igualdade entre homens e mulheres. A plena implantação dos direitos humanos, o acesso à água, comida e terra, estratégias para democratização da mídia e a diversidade cultural.

O Ginásio de Esportes (Gigantinho) será sede das Conferências e das Mesas de diálogo e controvérsia. Entre os conferencistas que já confirmaram presença estão o lingüista norte-americano Noam Chomsky, o dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) João Pedro Stédile, e o jornalista e escritor uruguaio, Eduardo Galeano.

Os chamados Testemunhos serão concedidos por personalidades ou grupos cujas experiências e histórias de vida podem ser consideradas exemplares por aqueles que buscam a construção de um mundo melhor. O ator norte-americano Danny Glover, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e a médica cubana Aleida Guevara, filha de Ernesto Che Guevara, participarão do fórum com seus depoimentos.

Programação Cultural

Uma intensa programação de shows, peças teatrais, apresentações de dança e exposições foi elaborada para todos os dias do Fórum. No Museu Vivo da Diversidade – uma espécie de atelier coletivo – os participantes poderão experimentar intercâmbios artísticos com gente de todos os continentes. Nesse museu, as pessoas poderão ajudar a construir o Painel dos Destinos Cruzados, anexando nele algum registro que simbolize sua causa, região, país ou trajetória de vida. Pode ser uma fotografia, um poema, um objeto, que tenha no máximo o tamanho de sua mão. Os idealizadores do painel pretendem reunir marcas de todas as culturas e identidades presentes no FSM.

No projeto Memória Instantânea, uma cobertura das atividades do fórum em vídeo será produzida e editada durante o evento. Ele vai integrar uma mostra que também exibirá documentários produzidos antes do fórum sobre movimentos sociais ou experiências comunitárias.

Hospedagem em Porto Alegre

Quase toda a capacidade hoteleira da capital gaúcha está esgotada. Mesmo quartos de motéis já estão sendo utilizados para hospedar os visitantes e o Acampamento da Juventude encerrou as inscrições no dia 10 de janeiro. Uma solução é procurar em cidades próximas como Canoas, Novo Hamburgo e Gravataí.

A organização do evento sugere ainda a Hospedagem Solidária (alojamento em casas de família pagando, no máximo, R$ 20,00, a diária). Contatos com Manuela através do e-mail [email protected] (escrever no campo do assunto “Hospedagem Solidária”.

Outra opção é a Hospedagem Alternativa, com estrutura bem variada, podendo ser em escolas, sítios, imóveis vagos, oferecendo de terrenos para acampamento até suítes. A taxa máxima é de R$ 40,00. Contatos com Karen através do e-mail [email protected]smic.prefpoa.com.br (escrever no campo do assunto “Hospedagem Alternativa”).

Ana Aranha e Paula Takada


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Repórter Brasil cobrirá direitos humanos no FSM

Entre 23 e 28 de janeiro, mais de 100 mil pessoas de todas as partes do mundo estarão reunidas em Porto Alegre para lutar por um objetivo nada modesto: um mundo novo.

REPÓRTER BRASIL – Como nos anos anteriores, a capital gaúcha abrigará o Fórum Social Mundial, agora em sua terceira edição. O Repórter Brasil, em parceria com o portal iG, dará prioridade à cobertura dos direitos fundamentais no evento.

Fórum, pois é um espaço livre para a reflexão e exposição de idéias, de entidades e movimentos a indivíduos. Social, porque seu eixo único e central é o homem, livre de qualquer forma de opressão. Mundial, pois reúne em um único espaço experiências vividas da Finlândia à África do Sul, do México ao Japão.

O FSM nasceu como contraponto direto ao Fórum Econômico Mundial e de tudo o que ele representa. “Se opõe a toda visão totalitária e reducionista da economia, do desenvolvimento e da história” – explica sua carta de princípios – “e ao uso da violência como meio de controle social pelo Estado”. O Fórum Econômico ocorre todo ano, desde 1971, na cidade de Davos, Suíça. Nele, os líderes das maiores potências refletem sobre as conseqüências da globalização e decidem, dentro de salas de portas trancadas, os rumos da economia mundial. O objetivo do Fórum Social é a democratização dessas reflexões e decisões.

A cobertura da Repórter Brasil será realizada em parceria com o portal iG e abrangerá principalmente direitos humanos, diversidade, igualdade, liberdades, princípios e valores. Esses temas são os mais afetados quando o desenvolvimento da globalização exclui dos benefícios do crescimento mundial a maioria da população. Os leitores terão à disposição o conteúdo mais importante de Painéis, Conferências e outras atividades do Fórum relativos aos temas.
Além disso, textos e fotos farão um raio-X do próprio Fórum, trazendo o leitor para mais perto de Porto Alegre. O Acampamento da Juventude (um imenso camping para mais de 30 mil pessoas), os locais onde serão realizados os eventos, o trabalho da imprensa mundial e as transformações da própria cidade durante essa semana.

Participação política
Uma grande novidade nessa terceira edição do fórum – além de um aumento de pelo menos 100% do número de participantes (até agora, 100 mil inscritos, o dobro de 2002) – é o estimulo à presença de governos e partidos políticos. A organização, na carta de princípios, deixa claro que a representação partidária no evento é proibida, já que a idéia é possibilitar a diversidade e o livre pensamento dos participantes. Mas foram criadas as chamadas Mesas de Diálogo e Controvérsia, que devem ser um espaço em que a sociedade civil poderá confrontar partidos políticos, representantes de governos e entidades das Nações Unidas.

O tema de uma das mesas “Em oposição às guerras do século 21, como construir a paz entre os povos” aponta diretamente para uma outra forte tendência do FSM 2003: a reflexão sobre a crescente militarização mundial. A questão será recorrente em diversos outros momentos, sendo ela um dos cinco eixos temáticos centrais do evento, em uma tentativa de reunir idéias e experiências na busca de uma equação comum para a paz.

Atividades programadas
A programação de atividades é formada principalmente por Conferências, Painéis, Testemunhos, Mesas de diálogo e controvérsia e Oficinas. Cinco amplos eixos temáticos foram estabelecidos para caracterizar o conteúdo dessas atividades. São eles: Desenvolvimento democrático e sustentável; Princípios e valores, direitos humanos, diversidade e igualdade; Mídia, cultura e contra-hegemonia; Poder político, sociedade civil e democracia; Ordem mundial democrática, combate à militarização e promoção da paz.

Personalidades
Agrupados de acordo com os cinco eixos temáticos, os Painéis são o destaque do FSM, pois reúnem não apenas exposições sobre as polêmicas da globalização neoliberal, mas também propostas e estratégias para transformá-las. Estão previstos 31 painéis, nos quais serão discutidas, entre outras questões, o desenvolvimento sustentável, a economia solidária e a igualdade entre homens e mulheres. A plena implantação dos direitos humanos, o acesso à água, comida e terra, estratégias para democratização da mídia e a diversidade cultural.
O Ginásio de Esportes (Gigantinho) será sede das Conferências e das Mesas de diálogo e controvérsia. Entre os conferencistas que já confirmaram presença estão o lingüista norte-americano Noam Chomsky, o dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) João Pedro Stédile, e o jornalista e escritor uruguaio, Eduardo Galeano.

Os chamados Testemunhos serão concedidos por personalidades ou grupos cujas experiências e histórias de vida podem ser consideradas exemplares por aqueles que buscam a construção de um mundo melhor. O ator norte-americano Danny Glover, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e a médica cubana Aleida Guevara, filha de Ernesto Che Guevara, participarão do fórum com seus depoimentos.

Programação Cultural
Uma intensa programação de shows, peças teatrais, apresentações de dança e exposições foi elaborada para todos os dias do Fórum. No Museu Vivo da Diversidade – uma espécie de atelier coletivo – os participantes poderão experimentar intercâmbios artísticos com gente de todos os continentes. Nesse museu, as pessoas poderão ajudar a construir o Painel dos Destinos Cruzados, anexando nele algum registro que simbolize sua causa, região, país ou trajetória de vida. Pode ser uma fotografia, um poema, um objeto, que tenha no máximo o tamanho de sua mão. Os idealizadores do painel pretendem reunir marcas de todas as culturas e identidades presentes no FSM.

No projeto Memória Instantânea, uma cobertura das atividades do fórum em vídeo será produzida e editada durante o evento. Ele vai integrar uma mostra que também exibirá documentários produzidos antes do fórum sobre movimentos sociais ou experiências comunitárias.

Hospedagem em Porto Alegre
Quase toda a capacidade hoteleira da capital gaúcha está esgotada. Mesmo quartos de motéis já estão sendo utilizados para hospedar os visitantes e o Acampamento da Juventude encerrou as inscrições no dia 10 de janeiro. Uma solução é procurar em cidades próximas como Canoas, Novo Hamburgo e Gravataí.

A organização do evento sugere ainda a Hospedagem Solidária (alojamento em casas de família pagando, no máximo, R$ 20,00, a diária). Contatos com Manuela através do e-mail [email protected] (escrever no campo do assunto “Hospedagem Solidária”.

Outra opção é a Hospedagem Alternativa, com estrutura bem variada, podendo ser em escolas, sítios, imóveis vagos, oferecendo de terrenos para acampamento até suítes. A taxa máxima é de R$ 40,00. Contatos com Karen através do e-mail [email protected] (escrever no campo do assunto “Hospedagem Alternativa”.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como