A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Trabalho escravo em debate no norte

Questões como tráfico de pessoas e trabalho escravo contemporâneo serão tema de dois eventos no estado do Pará nesta semana e na próxima. O primeiro, o Seminário Migrações e Tráfico de Pessoas, acontece quarta-feira (23) e quinta-feira (24) e contará com a apresentação de pesquisas acadêmicas recentes sobre o tema. As sugestões e observações dos participantes serão encaminhadas para as Comissões Parlamentares de Inquérito sobre Tráfico de Pessoas abertas no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do Pará. O evento será no auditório na Superintendência de Desenvolvimento  da Amazônia (Sudam). Já na próxima segunda-feira, dia 28, será realizado Encontro Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo, com a participação do coordenador da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), José Guerra.  O evento acontece no auditório do Comando da Polícia Militar do Pará. Confira abaixo as programações. Serviço: Seminário Migrações e Tráfico de Pessoas Local: Auditório da Sudam Av. Almirante Barroso, 426 – Bairro do Marco – Belém–PA Programação: 23 de maio (quarta-feira) 9h Abertura do Seminário 10h Mesa 1 Tráfico de pessoas e migrações na região Norte 11h30 MESA 2  Proteção dos Trabalhadores Migrantes nos países do  continente sul-americano 14h30   MESA 3 Produção acadêmica recente sobre Tráfico de pessoas e Migrações  na Amazônia 16h  MESA 4 Conclusões e encaminhamentos das CPIs de tráfico de pessoas no Brasil e no Pará 24 de maio (quinta-feira) 8h30   Mesa 5  Fronteiras de Integração na Região Norte 9h45  Mesa 6   Mulheres em Movimento: relatos de experiências de migração 11h Mesa 7 Compromissos firmados nos Planos Federais e Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas nos eixos Prevenção; Repressão; Atenção e atendimento às vítimas. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail: [email protected].com.br Encontro Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo  Local: Auditório do Comando da Polícia Militar do Pará                     Av. Dr. Freitas s/n – Bairro do Marco – Belém – Pará Programação: 28 de maio (segunda-feira) 9h  –  Abertura do Evento 9h30 – Relato de resgates de trabalhadores escravos no Pará        10h PAINEL   1 – Obrigações do empregador e as  indenizações por danos aos direitos violados das pessoas resgatadas em situação análoga ao trabalho escravo. 14h –  PAINEL 2 – O  Atual cenário da repressão trabalhista, cível e criminal aos exploradores de  mão de obra escrava no Brasil e no Pará. 15h30 –  PAINEL 3  – “Trabalho em Grupo”: Construção do fluxo de atendimento às vitimas  resgatadas em situação análoga ao trabalho escravo.

Questões como tráfico de pessoas e trabalho escravo contemporâneo serão tema de dois eventos no estado do Pará nesta semana e na próxima. O primeiro, o Seminário Migrações e Tráfico de Pessoas, acontece quarta-feira (23) e quinta-feira (24) e contará com a apresentação de pesquisas acadêmicas recentes sobre o tema. As sugestões e observações dos participantes serão encaminhadas para as Comissões Parlamentares de Inquérito sobre Tráfico de Pessoas abertas no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do Pará. O evento será no auditório na Superintendência de Desenvolvimento  da Amazônia (Sudam).

Já na próxima segunda-feira, dia 28, será realizado Encontro Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo, com a participação do coordenador da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae), José Guerra.  O evento acontece no auditório do Comando da Polícia Militar do Pará. Confira abaixo as programações.

Serviço:
Seminário Migrações e Tráfico de Pessoas
Local: Auditório da Sudam
Av. Almirante Barroso, 426Bairro do MarcoBelémPA
Programação: 23 de maio (quarta-feira)
9h Abertura do Seminário
10h Mesa 1 Tráfico de pessoas e migrações na região Norte
11h30 MESA 2  Proteção dos Trabalhadores Migrantes nos países do  continente sul-americano
14h30   MESA 3 Produção acadêmica recente sobre Tráfico de pessoas e Migrações  na Amazônia
16h  MESA 4 Conclusões e encaminhamentos das CPIs de tráfico de pessoas no Brasil e no Pará

24 de maio (quinta-feira)
8h30   Mesa 5  Fronteiras de Integração na Região Norte
9h45  Mesa 6   Mulheres em Movimento: relatos de experiências de migração
11h Mesa 7 Compromissos firmados nos Planos Federais e Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas nos eixos Prevenção; Repressão; Atenção e atendimento às vítimas.

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail: [email protected]

Encontro Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo 
Local:
Auditório do Comando da Polícia Militar do Pará                   
 Av. Dr. Freitas s/n – Bairro do Marco – Belém – Pará
Programação: 28 de maio (segunda-feira)
9h  –  Abertura do Evento
9h30 – Relato de resgates de trabalhadores escravos no Pará       
10h PAINEL   1 – Obrigações do empregador e as  indenizações por danos aos direitos violados das pessoas resgatadas em situação análoga ao trabalho escravo.
14h –  PAINEL 2 – O  Atual cenário da repressão trabalhista, cível e criminal aos exploradores de  mão de obra escrava no Brasil e no Pará.
15h30 –  PAINEL 3  – “Trabalho em Grupo”: Construção do fluxo de atendimento às vitimas  resgatadas em situação análoga ao trabalho escravo.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

2 Comentários

  1. Nádia Fialho

    Saudações! Considerando a importância de eventos que abordem temáticas relacionadas ao trabalho escravo/migrações/tráficos de pessoas, solicito ser incluída em lista de contatos. Infelizmente não tive conhecimento sobre os dois eventos realizados em Belém/Pa sobre as temáticas e essa é a razão de solicitar tais informações. Cordialmente. Nádia Fialho.

  2. Samantha

    Edmundo Ribeiro19 setembro, 2011 – 0:47 O que foi mrostado neste veddeo e9 revoltante. Causa indignae7e3o a qualquer pessoa que tenha um mednimo de respeito ao ser humano. O que e9 pior: mesmo quando sabem que determinada empresa cometem essas atrocidades, as pessoas ainda continuam comprando seus produtos, quando deveriam boicote1-los. Ne3o sf3 isso, promover manifestae7f5es de protesto na frente dessas empresas. E ainda mais, saber quais os poledticos que se3o financiados por estes exploradores medievais. Aqui em Pernambuco, existem poledticos, donos de jornais, cultivadores de cana, emprese1rios da construe7e3o civil que impf5em aos trabalhadores condie7f5es de escravide3o, semi-escravide3o ou de insalubridade que vai destruindo a safade dos trabalhadores. Muitos casos acobertados pela prf3pria DRT e governantes de plante3o.